'Mídia programática': o algoritmo que alimenta a onda de notícias falsas.

Share Button

Deu hoje no G1:

LINK – https://oglobo.globo.com/brasil/midia-programatica-algoritmo-que-alimenta-onda-de-noticias-falsas-24461750

COMENTÁRIO

Ao que parece, o Grupo Globo lançou ofensiva publicitária ‘programática‘ para concorrer com o Google/YouTube. E deve ‘fazer escola’. De novo. Briga boa – mas que desnuda o total desapreço da Casa pelos seus pais e mães adotivos: os bureaux de mídia e as agências de propaganda. Caso para o CENP – com potencial explosivo.

Infelizmente, não é novidade – a mão que apedreja ter sido, no passado, a mão do afago. Na década de 1990, com seus ‘jornais de bairro’, o Grupo já ‘furava’ as agências (a quem os veículos devem a existência), anunciando, despudoradamente, assim: ‘Fazemos seu anúncio – com arte de graça, e você ainda economiza os 20% da comissão de agência’. Na época, a ‘manada’ da mídia seguiu a tendência matricida, com a honrosa exceção da Folha de S. Paulo – a qual declarava, solene: ‘Você até pode produzir em casa o seu anúncio, mas a veiculação será pelo mesmo preço de tabela que teria via agência de propaganda’.

Mais recentemente, a ABAP ensaiou uma fala mais dura com relação a mais um ‘furo’ (leia-se tiro desferido) contra as agências; uma plêiade de experts em marketing digital (ou content marketing) ‘produzindo’ e ‘veiculando’ anúncios, ‘impulsionado’ conteúdos pela rede afora, sem qualquer compromisso com a lei, a ética, e as melhores práticas do mercado publicitário – obra de muitos, por muito tempo, erigida no país -, mas ficou por isso mesmo. Lamentável!