O que nos manterá relevantes enquanto profissionais diante da escassez de vagas de emprego? Por Daniella Rodrigues.

Share Button

O avanço tecnológico tem proporcionado grandes transformações em nossa sociedade e em nossa relação com o trabalho. A rapidez com que essas mudanças acontecem nos deixa com a sensação de estarmos sempre com o repertório atrasado.

De acordo com um estudo realizado em 2016 pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), quase dois terços das crianças matriculadas no ensino fundamental trabalharão em carreiras que ainda não existem. A estimativa é que 35% das habilidades mais demandadas mudem em menos de 24 meses, até 2020, quando 7,1 milhões de empregos deverão desaparecer.

Um questionamento válido diante desse cenário é: – O que nos manterá relevantes enquanto profissionais diante da escassez de vagas de emprego?

Sem dúvida, uma das competências que devem ser aprendidas hoje para lidar com o mundo em constante transformação, é a capacidade de empreender.

Segundo a pesquisa ‘O Perfil do Jovem Empreendedor Brasileiro’, feita pela Confederação Nacional dos Jovens Empresários, apesar do desejo dos alunos em aprender mais sobre o tema empreendedorismo, ele ainda não faz parte da realidade da maioria. O estudo mostra, por exemplo, que 86% dos estudantes revelaram não ter passado por nenhuma qualificação sobre empreendedorismo em sua educação fundamental e média.

Outra pesquisa realizada pela ONG Endeavor mostra que as dificuldades para se aproximar do empreendedorismo também afetam a vida adulta da maioria dos brasileiros. Segundo o levantamento, 76% da população sonha em empreender e ter o próprio negócio, mas apenas 19% têm capacidade de fazê-lo num curto prazo.

Segundo o Sebrae, as Micro e Pequenas Empresas já são as principais geradoras de riqueza no comércio no Brasil (53,4% do PIB deste setor) e com expressiva participação também no PIB da indústria e do serviço. Os dados demonstram claramente a importância de incentivar e qualificar os empreendedores e fomentar a cultura empreendedora.

Em 2017, no Brasil, a taxa total de empreendedorismo (TTE) foi de 36,4%, o que significa que de cada 100 brasileiros e brasileiras adultos (18 – 64 anos), 36 deles estavam conduzindo alguma atividade empreendedora, quer seja na criação ou aperfeiçoamento de um novo negócio, ou na manutenção de um negócio já estabelecido. O problema é que as pessoas não são treinadas para levar seus empreendimentos adiante. No Brasil, quando 25% das pequenas e médias empresas completam dois anos de atividade, o negócio termina. E quando as sobreviventes chegam a cinco anos de operação, esse índice ultrapassa a margem de 50%. No ‘Global Entrepreneurship 2017’, uma das principais recomendações dos especialistas para a melhoria das condições para empreender no Brasil é o investimento em educação e capacitação empreendedora.

De acordo com o programa Empretec criado pela ONU para capacitar empreendedores, um empreendedor de sucesso deve possuir 10 características:

1. Busca de Oportunidades e Iniciativa – Desenvolve a capacidade de se antecipar aos fatos e de criar oportunidades de negócios com novos produtos e serviços. Um empreendedor com essas características bem trabalhadas:

· Age com proatividade, antecipando-se às situações
· Busca a possibilidade de expandir seus negócios
· Aproveita oportunidades incomuns para progredir

2. Persistência – Desenvolve a habilidade de enfrentar obstáculos para alcançar o sucesso. A pessoa com essas características:

· Não desiste diante de obstáculos
· Reavalia e insiste ou muda seus planos para superar objetivos
· Esforça-se além da média para atingir seus objetivos

3. Correr Riscos Calculados – Envolve a disposição de assumir desafios e responder por eles. O empreendedor com esta característica:

· Procura e avalia alternativas para tomar decisões
· Busca reduzir as chances de erro
· Aceita desafios moderados, com boas chances de sucesso

4. Exigência de Qualidade e Eficiência – Relaciona-se com a disposição e a inclinação para fazer sempre mais e melhor. Um empreendedor com essa característica:

· Melhora continuamente seu negócio ou seus produtos
· Satisfaz e excede as expectativas dos clientes
· Cria procedimentos para cumprir prazos e padrões de qualidade

5. Comprometimento – Característica que envolve sacrifício pessoal, colaboração com os funcionários e esmero com os clientes. O empreendedor:

· Traz para si mesmo as responsabilidades sobre sucesso e fracasso
· Atua em conjunto com a sua equipe para atingir os resultados
· Coloca o relacionamento com os clientes acima das necessidades de curto prazo

6. Busca de Informações – Característica que envolve a atualização constante de dados e informações sobre clientes, fornecedores, concorrentes e sobre o próprio negócio. O empreendedor:

· Envolve-se pessoalmente na avaliação do seu mercado
· Investiga sempre como oferecer novos produtos e serviços
· Busca a orientação de especialistas para decidir

7. Estabelecimento de Metas – Compreende saber estabelecer objetivos que sejam claros para a empresa, tanto em longo como em curto prazo. Assim, o empreendedor:

· Persegue objetivos desafiantes e importantes para si mesmo
· Tem clara visão de longo prazo
· Cria objetivos mensuráveis, com indicadores de resultado

8. Planejamento e Monitoramento Sistemáticos – Desenvolve a organização de tarefas de maneira objetiva, com prazos definidos, a fim de que possam ter os resultados medidos e avaliados. O empreendedor com essa característica bem trabalhada:

· Enfrenta grandes desafios, agindo por etapas
· Adequa rapidamente seus planos às mudanças e variáveis de mercado
· Acompanha os indicadores financeiros e os leva em consideração no momento de tomada de decisão

9. Persuasão e Rede de Contatos – Engloba o uso de estratégia para influenciar e persuadir pessoas e se relacionar com pessoas-chave que possam ajudar a atingir os objetivos do seu negócio. Dessa forma, o empreendedor:

· Cria estratégias para conseguir apoio para seus projetos
· Obtém apoio de pessoas chave para seus objetivos
· Desenvolve redes de contatos e constrói bons relacionamentos comerciais

10. Independência e Autoconfiança – Desenvolve a autonomia para agir e manter sempre a confiança no sucesso. Um empreendedor que possui essa característica:

· Confia em suas próprias opiniões mais do que nas dos outros
· É otimista e determinado, mesmo diante da oposição
· Transmite confiança na sua própria capacidade.

Identificar seu perfil empreendedor e os pontos que precisam ser melhorados são passos muito importantes para criar um plano de desenvolvimento e manter-se competitivo no mercado.

E você, qual a sua maior dúvida ou dificuldade com relação ao empreendedorismo?

Daniella Rodrigues é empreendedora e apaixonada por Educação. Formada em Gestão Comercial pela Faculdade de Tecnologia Opet e especialista em Marketing e Vendas pela PUC do Paraná, é idealizadora de um programa de Educação Empreendedora no qual orienta pessoas a transformarem suas paixões em negócios rentáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *