TENDÊNCIAS ETC. - Compressionalistas: Somos todos? Por Carolina Sales Marouvo.

Share Button

Tentar dar conta de tudo e, mesmo fazendo muito, sentir-se fracassado: este é o retrato da nossa sociedade. Estamos sempre a correr para tentar cumprir as diversas obrigações que nós (ou os outros) estabelecemos para nossas vidas. As missões vão desde bater as metas estabelecidas pelo chefe ou conquistar o corpo da celebridade que está na capa da revista até marcar presença em todos os eventos sociais de amigos e familiares ou fazer valer no mundo real todas aquelas frases motivacionais/good vibes que postamos no Instagram. Ufa!

Mas, levante a mão quem não se sente, com certa frequência, cansado, fracassado ou sob fortíssima pressão. Não somos máquinas e estamos longe da perfeição!

Este artigo, porém, não é de autoajuda para sentirmos menos culpa. Ele é para tratar deste sentimento que permeia a sociedade contemporânea e foi traduzido como insight no relatório ‘Futuro do Consumo 2021’ desenvolvido pela agência especializada em tendências WGSN.

O ‘compressionalismo’, como foi chamado, é transversal a diferentes gerações e culturas. Consiste na busca de uma perfeição que é humanamente impossível – mas que pode ser uma oportunidade de negócio interessante para diversas indústrias. Afinal, somos também todos consumidores.

De acordo com os especialistas da WGSN, os compressionalistas estão mais preocupados com a facilidade da compra do que com possíveis descontos, por isso, a dica é simplificar ao máximo a jornada do consumidor. Seja diminuindo a oferta de um mesmo produto, ou seja, as opções de escolha, ou retirando etapas para a conclusão da compra no seu e-commerce.

Outra sugestão é oferecer produtos e serviços que ajudem a optimizar o tempo gasto entre as deslocações rotineiras, como de casa para o trabalho. Ser prático e versátil também é importante: quanto mais funções tiver uma única coisa, melhor para o compressionalista.

A Coalatree, uma marca de roupas para o uso ao ar livre, já entendeu perfeitamente este comportamento e, além de produzir roupas sustentáveis e resistentes à chuva e ao vento, lançou recentemente uma jaqueta com a capacidade de consertar os seus próprios furos. Se o cliente está numa caminhada e sofre uma queda, por exemplo, basta esfregar o dedo sobre o furo para que o material volte a ficar como novo em poucos segundos.

Já o Shark IQ Robot é um robô aspirador de pó que conta com recursos de navegação automática e, depois de terminar de limpar toda a casa, ele volta para a sua base e esvazia-se sozinho.

A indústria da beleza, por sua vez, é uma das que mais percebe os anseios dos compressionalistas – não é de hoje que as empresas buscam otimizar a sua oferta para oferecer produtos que tenham mais de uma finalidade. As maquiagens com filtro solar, já relativamente antigas no mercado, são um exemplo disso. E, recentemente, a Alleyoop anunciou um produto revolucionário: um desodorante natural que não só oferece frescor e perfume às axilas, mas também retarda o crescimento dos pelos. A marca recomenda uso diário e promete resultados a partir de quatro semanas.

E você, já parou para pensar qual é o seu grau de compressionalismo?

Carolina Sales Marouvo (carolinamarouvo@hotmail.com) é jornalista com especializações em análise de tendências e comunicação empresarial. Divide o coração entre o Rio de Janeiro, sua cidade natal, e Lisboa, onde vive atualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *