'Like' não paga boleto. Por Flávia Ferreira.

Share Button

Desde que o Instagram tirou a possibilidade de visualização do número de curtidas nas fotos em seu aplicativo mobile, as empresas estão tentando se adaptar a uma nova forma de trabalhar a sua atuação nesta rede. Como eu havia comentado no meu artigo anterior, criar valor tem sido mais valorizado do que o número de curtidas.

Junto a isso, o poder de recomendação de amigos e influenciadores, a chamada ‘viralização’ e o tom da marca têm ganhado espaço.

A métrica pela métrica não tem valor por ser um dado isolado e, por isso, ela precisa vir acompanhada de uma avaliação de desempenho da postagem, os famosos KPIs (sigla de Key Performance Indicator), indicadores-chave de desempenho, que é uma técnica que auxilia o gestor das redes a manter o foco para ir atrás das metas, facilitando também a transmissão da visão e da missão da empresa.

Para estipular os indicadores, é necessário estipular rotinas de acompanhamento frequente para possibilitar uma mensuração para além das ‘métricas de vaidade‘, que são dados que não ajudam a tomar decisões estratégicas ou relevantes para o negócio. Por exemplo, se eu tenho um perfil com 100 mil curtidas, mas não estipulo metas de crescimento e um processo de avaliação, o dado não tem utilidade estratégica. Mas, se eu aliar este dado com a comprovação de crescimento na venda dos meus produtos, acesso ao meu site ou contatos diretos, aí eu passo a ter a construção de dados de qualidade – ou informação.

Importante destacar que um KPI, conforme já destacou Isabela Pimentel, especialista em Comunicação Integrada, precisa ser acompanhado por todo o período. A especialista destaca ainda que os maiores desafios nesse processo é se adaptar os novos modelos dos mecanismos de busca por conta da Inteligência Artificial; pensar nos robôs como um meio de ampliar as métricas e engajamentos. e a automação dos processos.

Eu costumo dizer que o planejamento é importante em todas as etapas da nossa vida, mas de nada adianta planejar sem mensurar e analisar os resultados desse trabalho, o que se tornou ainda mais importante na era pós-like, já que o engajamento se tornou crucial para as marcas. É importante:

1 – Escolher um tema central ou ‘guarda-chuva’ para as suas postagens.

2 – Determinar a frequência de postagens e a forma como será feita, pois não existe uma receita correta para isso.

3 – Desenhar metas para a sua rede. Onde estou e onde quero ir.

4 – Fazer o cruzamento de métricas para chegar a uma análise que vá além da métrica de vaidade (o like pelo like).

5 – Reavaliar sempre se o trabalho que se está fazendo está gerando sentido e significado para seu público.

6 – Aprender. Aprender. E aprender. O ambiente das mídias digitais está em constante mudança – então é importante ficar inteirado das tendências.

Flávia Ferreira é jornalista pós-graduada em Gestão Estratégica da Comunicação. Com mais de 10 anos de atuação profissional, já navegou pelo terceiro setor, o setor público e o privado, sempre trazendo o viés social para o trabalho cotidiano, seja com comunicação corporativa, gestão de marcas ou reportagens de campo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *