- Tá faltando assunto, minha filha? Por Júlia Fernandes.

Share Button

Na última semana fui alertada por uma amiga de que as conversas ultimamente giram em torno da Covid-19 e da política no Brasil. Como jornalista, que sou, fiz a reflexão. É tanto ‘meme’ e discussão sobre isso que falta um respiro em nossos grupos de WhatsApp, reuniões do zoom e papos familiares. Aí eu pensei: dá para fazer conteúdo que chame atenção sem ser monotemático atualmente?

A resposta é sim, dá para fazer!

Nesta semana proponho uma lista de conteúdos interessantes que farão você pensar que existe vida além de todo esse caos. Não vai faltar assunto. Acompanhe!

1.Max Gehringer no Linkedin

Com postagens três vezes por semana, o consultor de carreiras demonstra um repertório ímpar para o LinkedIn. De experiências ocorridas em sua trajetória profissional, ao significado real da aposentadoria, ele demonstra versatilidade e traz aprendizados atemporais aos seus leitores em textos breves e bem escritos. O perfil de Gehringer tem mais de 600 mil seguidores.

2.Tempero Drag – Canal no Youtube

Rita Von Hunty é uma drag genial. Personagem, professora, profética? Tudo isso com uma dose de história, filosofia e sociologia misturadas, dão o verdadeiro Tempero Drag. Os temas dos vídeos do canal são pertinentes aos tempos atuais e nos fazem refletir, com leveza, ocupando em média 5 minutos do nosso tempo (que passam voando)!

3.Somebody feed Phill – Série na Netflix

Com três temporadas disponíveis na Netflix, ‘Somebody feed Phill’ é uma série documental, irreverente e alegre. É possível viajar pelo mundo com o produtor de televisão Phil Rosenthal, da Tailândia a Buenos Aires, para comer os melhores pratos de cada lugar. Sem qualquer restrição ou cerimônia ele sempre diz que aquela é ‘a melhor comida que já provou na vida’, o que faz com que os convidados e anfitriões se sintam muito à vontade. A terceira temporada estreou em maio deste ano no streaming.

Deguste um pouquinho da série aqui.

4.Conteúdo para os geeks, nerds ou apenas curiosos

Vou dar duas dicas para os questionadores de plantão. A primeira é o perfil Nomes Científicos no facebook e no instagram. Criada pelo biólogo Rafael Rigolon, a página desvenda a curiosidade sobre a origem de palavras, desmistifica alguns contextos históricos e traz luz a muitos mistérios científicos pouco explicados nas salas de aulas.

A segunda é o canal no Youtube Theorizando. Produzido pelo ator, relações públicas, professor de inglês e cantor, Theo Valadares, o canal encanta pela diversidade profissional de seu criador e pela capacidade que ele tem em desembolar temas complexos da psicologia, da filosofia e até do cinema.

5.Last but not least!

Por último, mas não menos importante, se você está procurando aquele ‘empurrãozinho’ para começar a escrever durante a quarentena ou está em busca de uma dica de leitura, ‘cola’ no canal Estratégias Narrativas e acompanhe os vídeos de lá.

Mas, se estiver muito cansado do digital, leia um bom livro. Elevando o seu astral, você ainda vai fazer um escritor, um dono de livraria e de uma editoria mais felizes! Que tal?

Escreva um comentário e me conte a sua experiência caso você usufrua de alguma das dicas que passei aqui.

Júlia Fernandes é formada em Comunicação Social pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF), tem MBA em Marketing e Comunicação e especialização em Gestão Estratégica da Comunicação pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas). A autora tem experiência profissional – em âmbito público e privado – nos setores de comunicação institucional e marketing.

4 respostas para “– Tá faltando assunto, minha filha? Por Júlia Fernandes.”

  1. Esse texto se faz muito necessário no momento que estamos vivendo. Me atrevo a dizer que ele é um alívio falar de outras temáticas.

  2. Que bom ler isso, Rafael. A proposta é essa mesma.

  3. Heloana disse:

    Como sempre, maravilhosa, Júlia! Texto útil e necessário nesse tédio das redes sociais. Obrigafa pelas contribuições.
    Meu último encontro foi com o livro “O caso do cachorro morto”, de Mark Haddon, uma narrativa envolvente com um narrador surpreendente, que ajuda a compreender a percepção de uma autista da realidade. Também recomendo.

  4. Heloana, que ótimo saber que a leitura ocupou um pedaço da sua quarentena e com algo tão útil!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *