O uso de pacotes de software no gerenciamento da Comunicação Interna. Por Giselle Costa

Share Button

Como utilizar as novas tecnologias a favor da linguagem empresarial e envolver colaboradores?

Na década de 1980, Leonard Berry já havia identificado a necessidade de se olhar para o colaborador como um ‘consumidor’, como alguém fundamental para o desenvolvimento de uma organização. Em seu artigo ‘The employee as customer’, o professor da Universidade do Texas afirmou que funcionários também querem ter seus ‘desejos’ atendidos e que uma empresa precisa ouvir e satisfazer suas necessidades internas. Com isso, conquistaria uma posição melhor para fornecer a qualidade almejada pelos seus clientes externos.

A matemática parece simples. Porém, após mais de 30 anos de publicação do artigo, vê-se que as empresas ainda engatinham nesse sentido. Para Berry, a receita era clara: primeiro atender às necessidades dos funcionários para aumentar a motivação e retenção e, como consequência, elevar o grau de lealdade à marca externamente.

A disseminação das novas tecnologias fez com que as empresas finalmente entendessem a importância do público interno para o fortalecimento de uma marca. Com uma competição acirrada e as redes sociais cada vez mais presentes no dia a dia de todos, fez-se necessário investir na audiência interna como diferencial para se manter no mercado. Nessa vertente, a Comunicação Interna saltou aos olhos e, hoje, está presente em grande parte das organizações.

Nesse ambiente, chama-nos atenção a profusão de pacotes de software que surgem como auxílio na gestão de uma Comunicação Interna efetiva. Atualmente, existe no mercado uma diversidade de programas especializados. Ao pesquisar no Google, rapidamente aparece uma dezena de programas com todo tipo de oferta. Entre os quais, citamos:

Yammer: Aplicativo que faz parte do Office e permite criar uma rede social interna na empresa. Funciona também como intranet.

Workplace: É uma rede social corporativa criada pelo Facebook com o objetivo de fomentar a comunicação interna nas empresas.

Britix24: É um software gratuito para comunicação empresarial. Oferece uma diversidade de ferramentas voltadas a facilitar a comunicação interna e com clientes.

SocialReacher: É uma ferramenta que permite aos colaboradores ajudar a disseminar e ampliar a mensagem e campanhas das marcas nas redes sociais. Os funcionários tornam-se defensores das empresas frente ao público externo.

Poppulo: É uma solução multicanal para facilitar a comunicação com funcionários. Oferece e-mails interativos e direcionados, aplicativos para celulares e desktops, vídeos, redes sociais e intranets. E ainda é possível mensurar os resultados.

Com isso, a  pergunta que se quer responder é: – Até que ponto são, essas ferramentas, realmente úteis para o desenvolvimento de uma Comunicação Interna eficaz e próxima?

De acordo com Shel Holtz, da Holtz Communications, em um artigo publicado em 2005 na Melcrum Publishing, ‘The impact  of new technologies on internal communication’, a internet forneceu o canal para aproximar a empresa de seus colaboradores, uma vez que a tecnologia permite às pessoas publicarem, interagirem e colaborarem de forma simples e rápida. ‘Os líderes empresariais precisam perceber os méritos desses aplicativos e como podem beneficiar as organizações’, escreveu.

Holtz entende que o uso correto vai depender da estratégia adotada pelo departamento de comunicação, sugerindo que a escolha das ferramentas online seja a mais adequada à organização, encontrando equilíbrio para promover a voz dos colaboradores sem deixar de estar focado no negócio. Sempre integrando esses novos canais aos já existentes na empresa para que todos façam parte da linguagem corporativa.

O especialista em tecnologia defende ainda que funcionários não são ‘funcionários’ 100 por cento do seu tempo. São clientes, acionistas, consumidores, leitores, espectadores e ouvintes. ‘Quando estão em casa, sentem as mesmas frustrações que outras audiências e as levam para o trabalho’. Holtz acredita que a maneira com que as organizações se comunicam com essas pessoas pode exacerbar ainda mais os problemas. ‘As empresas onde compram produtos não os escutam e os atendem mal e, para piorar, onde trabalham acontece o mesmo. É impossível separar os dois’.

Dessa forma, ao optar por um software para gerenciar a comunicação com os funcionários, a empresa precisa ter a sensibilidade em conhecer seu público, saber quais meios realmente são úteis para agilizar e melhorar o fluxo de informação e comunicação internas. Não adianta adotar a melhor solução tecnológica se aquela ferramenta não traz benefícios aos públicos internos. Essa audiência é fundamental para que o negócio evolua. Lance mão dos canais, mas tenha atenção à estratégia e ao que realmente importa.

Imagem: https://pixabay.com/en/startup-business-people-students-849804/

Giselle Costa é jornalista graduada pela FACHA, com MBA em Marketing pelo IBMEC-RJ e mestranda em Ciência da Comunicação na Universidade do Minho, em Braga. Descobriu em Portugal uma nova paixão: a Comunicação Organizacional. Atualmente, é estagiária de investigação na Bosch Car Multimedia, para a qual pesquisa como a comunicação pode ajudar na satisfação dos colaboradores e melhorar o fluxo de informação na empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *