Vale a palavra ou vale o escrito?

Share Button

Imagem (210)

Recorrente na imprensa brasileira, escrita, falada, televisada, digitalizada, a “nota noticiada” já foi abordada aqui, neste OCI, algumas vezes. Mas como elas não param de popular as páginas dos textos escritos e lidos por âncoras e anzóis da nossa mídia, vamos a mais um caso para, como sempre, criticar o que chamamos “jornalismo de assessoria”.

No noticiário de ontem (na internet, em rádios e TVs), ficamos sabendo que o Sr. John Coates, vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), considera os preparativos do Rio de Janeiro para os Jogos Olímpicos de 2016 como os piores por ele já vistos. Segundo o jornal O Globo, edição de 29/04, “… ele apresentou um panorama terrível… e disse que a ‘situação é crítica’ e não existe um plano B para a organização da Olimpíada”.

A afirmação foi feita em Sydney, na Austrália, durante o Forum Olímpico.  Ou seja, a fala não aconteceu numa conversa ou entrevista qualquer, fora de contexto. 

Pezão e Paes, governador e prefeito, prontamente “se indignaram”. Deram o braço ao – eterno – Nuzman – e voltaram a repetir o antológico “deixa com a gente” que também tira o sono dos cartolas da FIFA.

Aí, então, ela veio… a “nota à imprensa”, diretamente de Genebra, mais especificamente da mesa do diretor de comunicação (leia-se coleguinha) do COI, Mark Adans (anotem este nome) “afirmando” que “acredita na capacidade da cidade de proporcionar excelentes Jogos e no prazo, pois tem recebido, desde a semana passada, ‘respostas positivas’ sobre a preparação da cidade para o evento”.

Storytelling

Com quem estará a verdade? Com o dirigente que disse “nunca vi isto” (depois de Jerome Valcke, vice-presidente da FIFA, semana passada ter dito, textualmente, “tudo vai ficar pronto no último minuto”), ou com a nota providencial – e providenciada por mirabolantes assessorias – para aplacar os ânimos de… quem mesmo? Da mídia? Da opinião pública? Dos candidatos às eleições de outubro? Parece que estamos precisando de “contadores de histórias” para nos explicar o que os jornais publicam. Gu-Gu-Da-Da.

E segue a matéria, em notícia de página (10) inteira intitulada “Sinais contrários: vice-presidente do COI faz duras críticas, mas entidade diz que está satisfeita”, com box intitulado “Cidade não cumpre promessas feitas na candidatura: entre as previsões, Rio sem protestos na Copa do Mundo e o Tom Jobim totalmente reformado em 2014”.

Acima, a foto que ilustra a matéria, de Genilson Araújo.

É aquele negócio, caro leitor: – tire as suas próprias conclusões.