Serviços especiais do OCI lançados hoje, no Rio de Janeiro.

Share Button

Lançamento 16 04 2014 FOTO 1

Hoje, exatas duas semanas após o lançamento da campanha “associe-se ao OCI”, foram apresentados, na sede do Observatório da Comunicação Institucional, no Rio de Janeiro, dois serviços: uma metodologia de avaliação quantitativa da comunicação – AFC –, e o índice de transparência OCI.

Frutos do trabalho do pesquisador Manoel Marcondes Machado Neto, diretor-presidente do OCI, a “Auditoria do Fluxo da Comunicação”© e o “índice de transparência OCI”© são tecnologias proprietárias desenvolvidas sob a demanda de organizações e agências de comunicação do eixo Rio-São Paulo-Minas Gerais, em que dados foram coletados sistematicamente nos últimos sete anos – em instituições como a UERJ, onde é professor associado da Faculdade de Administração e Finanças, na graduação, na especialização e no Mestrado em Ciências Contábeis; UFJF, onde colaborou como professor-convidado do MBA em Comunicação Empresarial; e, mais recentemente, o próprio OCI, em sua representação paulista. O também professor Marcelo Luiz Ficher, diretor-executivo da entidade, contribuiu com dados levantados em Macaé, ao longo de dois anos junto à agência experimental da Faculdade Salesiana Maria Auxiliadora (FSMA).

Fundamentado nas 4 instâncias, 8 linhas de ação e 16 técnicas do “mix” das Relações Públicas Plenas, ou composto dos “4 Rs”; a saber, “Reconhecimento”, “Relacionamento”, “Relevância” e “Reputação”, lançado em livro de 2012, a metodologia de avaliação será aplicada como um “job” de auditoria e consultoria.

Produtos Finais

Ao final de cada “job” – AFC -, até três documentos serão entregues ao cliente cujo fluxo de comunicação tenha sido auditado:

1 – Um certificado constando do “Index-Transparência-OCI”: um índice quantitativa ponderado com escala de 0 a 100 pontos inteiros;

2 – Um “parecer de auditoria do fluxo da comunicação”, à semelhança daqueles emitidos para a área contábil-financeira, o qual poderá ser um parecer “limpo” ou “com exceção”;

3 – Nos casos de parecer “com exceção”, um relatório com sugestões para melhoria da comunicação institucional, em aderência às melhores práticas que a legislação, a doutrina e a jurisprudência da área de Relações Públicas prescrevem.