Mais um "round" da guerra de notas. Desserviço no atacado de "agenda setting".

Share Button

COMENTÁRIO DO OCI – Marcondes Neto

O Carnaval passou, o 2013 começou no Brasil, e ninguém mais “fala” do confronto LIGHT versus CEDAE, “drama” que ocupou as primeiras (depois segundas, depois terceiras…) páginas dos jornais cariocas há – só – uma semana atrás. Até “sumir da pauta”…

Terá sido o aniversário da cidade? (Que, aliás, como sempre, ninguém comemorou, a não ser o jornal O Globo com seus factoides para gerar fotos – como a patética imagem em que aparecem D. Orani e Zico assoprando velinhas num bolo “gigante” de 10 metros… em São Paulo o número de metros é sempre o número de anos comemorados e milhares de paulistanos, de fato, comemoram o aniversário da cidade).

O fato é que testemunhamos mais uma batalha típica da “guerra de notas”. A CEDAE, em nota, culpa a LIGHT pela falta de água que vitimou praticamente toda a cidade. A LIGHT, por sua vez, afirma “em nota” que não suspendeu por completo, em nenhum momento, o fornecimento de energia às centrais de bombeamento da CEDAE.

E, como sempre, ficamos assim. A culpa, ou melhor, a responsabilidade é de ninguém. A população que arque com os prejuízos e procure se divertir com as concessionárias de serviços públicos “brigando” pela mídia afora.

No atacado e no varejo, a flatulenta cultura de “soltar notas” imposta por jornalistas de assessoria às organizações – basta “soltar uma nota à imprensa; já nos posicionamos perante a opinião pública e pronto!” – além de minar o jornalismo, desvirtua as relações públicas e deseduca a cidadania em homeopáticas gotas de pusilanimidade, descaso, arrogância, mudez e irresponsabilidade civil.

Pobre comunicação institucional. Pobre cidade. Pobres cidadãos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *