Empresas que não cumprirem a LGPD podem receber punições. As novas medidas começaram a valer no início de agosto.

Share Button

São Paulo, 16 de setembro de 2021 – A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) foi sancionada em 2018 e garante a privacidade de informações dos cidadãos como nome, endereço, e-mail, idade, estado civil, entre outros. Recentemente, entraram em vigor os artigos 52, 53 e 54, que tratam das multas e demais sanções administrativas que poderão ser aplicadas pela Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) a empresas e órgãos públicos.

Quem descumprir a lei está sujeito a advertência, com possibilidade de medidas corretivas, multa de até 2% do faturamento, com limite de até R$ 50 milhões, o bloqueio ou a eliminação dos dados pessoais relacionados à irregularidade, suspensão parcial ou total de funcionamento do banco de dados ou a proibição parcial ou total da atividade de tratamento.

Apesar de as punições começarem a ser aplicadas apenas três anos depois, muitas empresas ainda não se preparam para cumpri-la. De acordo com uma pesquisa realizada pela RD Station, 93% dizem pelo menos já ter ouvido falar da LGPD, mas apenas 15% das empresas se mostram prontas ou na reta final de preparação. Segundo Arnaldo Mapelli, gerente comercial da Zyxel, muitas empresas acham que os investimentos em segurança cibernética serão mais altos do que podem pagar e por conta disso adiam esse processo de adequação à legislação.

“Existem produtos e serviços para qualquer tamanho de empresa e com investimentos muito variados. Não podemos esquecer que a LGPD já está em vigor e que quanto menor o risco de vazamento, mais segura a empresa estará para desempenhar o papel dela no mercado”, afirma o executivo.

Uma das soluções apontadas por Mapelli é a linha de Firewalls UTM da Zyxel, que permite que a empresa crie regras de acesso a determinados arquivos e que defina quais setores podem acessar conteúdos específicos dentro da rede. Eles comportam de 30 a 1000 usuários e podem gerenciar os access points ligados à rede. Além disso, aceitam de dois a oito links conectados, isso significa que caso a conexão caia, ele iniciará um processo chamado de fail-over, que ativa o link de backup e faz com que o sinal não seja interrompido. O executivo também recomenta a criação de comitês de trabalho de adequação à lei para que sejam definidas as políticas de governança em privacidade de dados, além da realização de treinamentos para a equipe.

Para conhecer mais sobre os produtos da Zyxel, acesse: www.zyxel.com.br

Zyxel é uma multinacional taiwanesa especializada em soluções de conectividade e redes corporativas. Com forte presença global em mais de 150 mercados atendidos entre os cinco continentes, a companhia oferece inovações tecnológicas e conecta o mundo à internet há mais de 30 anos, construindo as redes do futuro e ajudando a explorar o potencial do mundo para satisfazer as necessidades do trabalho moderno.