ESPAÇO INTERNO - EVP e a chancela da mudança dentro das organizações.

Share Button

Já está muito claro que uma enxurrada de novas práticas está transformando as organizações. Um conceito que traz agregado a ele mais que um nome, uma mudança de cultura, é o de EVP (Employee Value Proposition). Traduzindo, seria algo como Proposta de Valor ao Empregado mas, como exatamente essa proposta pode ser aplicada pelas organizações para que seus colaboradores sintam-se parte fundamental do lugar onde trabalham e, mais que isso, difundam a idoneidade de quem paga as suas contas?

A ideia de ‘marca empregadora’ vem dos conceitos de construção de marca, tão conhecidos dentro do marketing e da comunicação. Construir uma identidade sólida e que não saia da cabeça das pessoas sempre foi tarefa para a área de marketing e, não raro, muitas empresas dividem esse trabalho com a área de Gestão de Pessoas. Neste cenário, a identidade e o posicionamento da marca devem comunicar ao empregado muito mais que teoria, mas ações reais que a empresa cria, com o objetivo de tornar seus profissionais verdadeiros porta-vozes.

O conceito de EVP é única e exclusivamente desenvolvido para dentro das empresas. Seu target é o funcionário. Há algum tempo, pesquisas apontam aquilo que as organizações levaram décadas para entender: EVP e satisfação do empregado estão intimamente ligados, pois o engajamento deste só acontecerá se ele estiver comprometido com seu trabalho. Uma empresa que investe em seus funcionários, se preocupa em manter o bom clima organizacional e promove qualidade de vida, tende a criar laços mais fortes com seus colaboradores.

Para as empresas, EVP significa mais que ações de ‘endomarketing’ e flexibilidade. É preciso exercitar um vocabulário novo e desafiador, que é a transparência. Não basta desenvolver ideias, é preciso mostrar dentro e extra muros que a empresa realmente põe em prática toda a teoria contida em seus manuais de boas práticas e boas-vindas.

Este é o principal desafio, hoje, para a área de Gestão de Pessoas. É preciso estar antenado com as tendências nesse ramo e saber como adaptá-las à sua realidade organizacional. Nesse momento, é essencial manter a equipe motivada, acreditando e participando das propostas trazidas.

Tal desafio tem levado as organizações a buscarem perfis profissionais que vão além do trabalho braçal, mas cerebral. Motivar as pessoas a ir além do que já fazem, ‘sair da caixinha’, engajar e preparar indivíduos que sejam capazes de correr riscos e se expor.

Para atingir níveis de satisfação e engajamento tão altos, porém, é preciso tempo. EVP é cultura. É reeducar as equipes e introduzir não só práticas como também conceitos novos de forma gradual, testando e buscando feedback permanentemente.

E para que toda a organização perceba o conceito de EVP como uma experiência agregadora, é imprescindível que a mudança comece pela gestão, que precisa saber exercer a natureza do EVP sem criar conflitos. Apresentar um pacote de novas ideias e simplesmente impô-las aos funcionários nunca vai funcionar corretamente, por melhores que sejam as novidades.

Vivemos tempos de mudanças e ajustes e, para atrair e fidelizar profissionais altamente motivados e capazes de inovar e agregar valor à empresa, é necessário fazê-los sentir-se parte dela. O sentimento de pertencimento traz a ideia de cuidado e dedicação, aumentando a competitividade no mercado.

7 respostas para “ESPAÇO INTERNO – EVP e a chancela da mudança dentro das organizações.”

  1. Karina Grechi Tagata disse:

    Super pertinente o tema Isabel ! Mais do que nunca as empresas que falam em responsabilidade social e governança corporativa precisam incorporar às suas práticas a transparência que vai além do discurso, que está nas atitudes: somente com a verdade na adoção desses pilares é que o conceito de EVP se consolidará na organização. Parabéns.
    Karina G Tagata

    • Isabel disse:

      Oi Karina! Achei a msg rs
      Obrigada pela leitura e análise. Acredito q caminhamos para novos tempos e bem melhores dentro das empresas. Acho o conceito do EVP incrível mas claro como toda mudança levará tempo para ser totalmente integrado Mas o osso foi dado é isso é muito importante. Beijo

  2. Juliana Fajardo disse:

    Isabel, otima abordagem!!! Atualmente meu maior desafio está em trabalhar a maturidade e o empoderamento do meu time. Trabalho muito Gosto de substituir o “seja transparente”, por seja verdadeiro.

    • Isabel disse:

      Oi Ju!
      Entendo sua questão. E como toda mudança de cultura leva tempo. Mas quando o processo é bem feito o sucesso é certo. Você é muito competente. Logo colherá os resultados! Beijo querida

  3. Juliana Fajardo disse:

    Isabel, otima abordagem!!! Atualmente meu maior desafio está em trabalhar a maturidade e o empoderamento do meu time. Gosto de substituir o “seja transparente”, por seja verdadeiro. E vem surtindo efeitos positivos dentro da equipe e tem sido um impulsionador para a prática do feedback .

  4. Ro Villa-Real disse:

    Exatamente Isabel , é preciso exercitar a transparência, o alinhamento do discurso à prática e nunca houve momento mais desafiador, e por isto mesmo, oportuno, como este! Excelente chamado!

    • Isabel disse:

      Acho que seguimos um bom caminho. Toda mudança de cultura leva tempo mas um processo feito com cuidado e atenção é fadado ao sucesso! Bom ter você aqui na coluna Ro! Bjo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *