DNA DE MARCA - A diferença é o propósito.

Share Button

O objetivo de uma marca não pode ser apenas lucrar e atender a necessidade dos consumidores. Seu objetivo deve ser bem maior, superar as expectativas dos consumidores e defender uma causa, ter um propósito.

Se sua marca possui um laço emocional com os consumidores é bem provável que ela sobreviva muito melhor a uma crise, por exemplo. Segundo diversas pesquisas realizadas, os jovens estão mais dispostos a comprar um produto ou escolher uma marca que tenha um propósito relevante e podem até decidir pagar mais por isso.

Muitas grifes de roupas já nasceram com um propósito atrelado a sustentabilidade e a produção justa e, dessa forma, atraem muito mais consumidores, principalmente os consumidores que se sentiram enganados depois de vários casos de trabalho escravo envolvendo grandes marcas de roupa que vieram à tona.

Continuando no assunto moda, gostaria de falar de uma marca que nasceu na minha cidade, Curitiba (PR), a Puta Peita.

Logo na primeira página do site você se depara com a frase ‘não é só uma camiseta’. A partir daí você já entende que realmente não é apenas um produto, é uma causa, um propósito. Outro elemento que deixa claro que não é apenas um produto é o manifesto disponível no site. A essência da marca é vender camisetas, moletons e outros itens com frases de empoderamento feminino e de luta contra a opressão. Analisando melhor é possível identificar um viés político e ideológico na marca, o que aumenta ainda mais o vínculo com o consumidor.

Acho que não preciso nem dizer que a marca é um sucesso. Homens e mulheres estão usando as camisetas por toda a cidade e até pessoas famosas.

Mas o que podemos perceber com isso? Se as novas marcas não nascerem com um propósito é provável que elas não vivam por muito tempo. Por isso desejamos um novo olhar para o mercado e vida longa às marcas.

Maria Gabriela Tosin é graduada em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Cursa especialização em Mídias Digitais na Universidade Positivo. Atuou como pesquisadora na área de artes e mídias digitais. Atua como produtora de conteúdo na agência Seward Comunicação Integrada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *