A expressão "nada a declarar", símbolo da ditadura, perdura impune.

Share Button

Na edição de hoje do jornal O Globo, um tapa na cara da cidadania carioca foi desferido por um integrante do setor que mais se beneficia da cidade; um grande hotel, em plena orla do Leblon.

A manchete:

“Robô flagra ligação clandestina de esgoto no Hotel Marina Palace”

A notícia, por Emanuel Alencar:

“Pequenino, pesando apenas sete quilos, ele é capaz de mostrar com detalhes – e em tempo real – uma face menos nobre do Leblon. Há um mês mapeando as tubulações do bairro, um robô flagrou ligação clandestina na rede de esgoto em frente ao Hotel Marina Palace, na esquina da Avenida Delfim Moreira com a Rua João Lira…”, e por aí vai…

A propaganda não é enganosa, mas omissa:

No website do hotel, nenhuma menção sequer ao discurso politicamente correto de sustentabilidade socioambiental…

Lê-se, apenas:

Descubra o prazer de se hospedar no bairro mais charmoso do Rio de Janeiro, de frente para a 
Praia do Leblon.

Relaxe em apartamentos e suítes muito confortáveis, bem decorados e com uma vista para o mar 
de tirar o fôlego.

Surpreenda-se com um menu de serviços capaz de atender a quase todos os seus desejos e delicie-se com uma gastronomia exclusiva.

Se ainda assim estiver faltando algo, teremos prazer em providenciar.

Ainda, segundo a matéria, a desfaçatez e o nada a declarar:

“Procurado pelo GLOBO, o Hotel Marina informou que faz manutenção em suas caixas de gordura uma vez por semana”. E acrescentou que “não recebeu nenhum comunicado oficial sobre qualquer ocorrência’.”

COMENTÁRIO DO OCI – Marcondes Neto

Mais grave do que poluir – é preciso apurar se o despejo clandestino não vem de outro bacana… – é acreditar que uma nota bisonha dessas sacia os cidadãos leitores, contribuintes, banhistas e eleitores…