Liderança VERSUS Motivação. Por Pamela Vilela.

Share Button

Um dos grandes desafios enfrentados por gestores de grandes e pequenas empresas, sem dúvida alguma, é garantir que sua equipe de trabalho esteja sempre motivada e alinhada com a visão e valores da empresa. São muitos os benefícios gerados por uma liderança que utiliza a motivação como um método para alcançar os objetivos dentro das organizações.

Pelo ponto de vista da empresa, a liderança proporciona:

•    Aumento de produtividade;
•    Geração de resultados;
•    Redução de custos operacionais;
•    Colaboradores mais comprometidos;
•    Rotatividade de pessoal diminuída e maior qualidade organizacional.

Consequentemente, também possibilita aos funcionários:

•    Otimização de tempo;
•    Autoestima elevada;
•    Promove o crescimento pessoal;
•    Melhora a comunicação e os relacionamentos.

Esse conjunto de práticas motivacionais colaboram positivamente nos resultados das organizações. Com o mundo acelerado e em constante transformação essa tática pode ser usada como um diferencial competitivo, mas acima de tudo é importante estabelecer um ambiente de comunicação e interação saudável que promova esse crescimento.

Motivar os colaboradores significa ter uma equipe que executa o trabalho com mais empenho e disposição, gerando clientes mais satisfeitos e possibilitando lucros muito maiores. Diante disso, o planejamento estratégico deve ser fundamentado em uma gestão voltada para a motivação no ambiente de trabalho.

A empresa deve estabelecer um novo olhar e um desenvolvimento na gestão de pessoas, considerando e reconhecendo a importância de uma liderança voltada ao engajamento das pessoas, pois quanto maior a satisfação dos colaboradores, maior é o envolvimento dos líderes e liderados e, consequentemente, maior é a capacidade de entrega de um produto/serviço com mais valor agregado ao cliente.

Hoje em dia, os profissionais estão mais preocupados em ter um ambiente corporativo com mais qualidade de vida, reconhecimento e respeito. Partindo do princípio de que o salário tem sua importância, mas não é tudo. Mesmo ganhando menos, as pessoas acreditam que é mais compensador trabalhar com algo que se identifica e num ambiente que favoreça sua produtividade e crescimento.

Por isso devemos sempre estar preparados para investir nas potencialidades do capital humano, juntamente com a implantação de políticas de motivação, a fim de reestruturar a área de recursos humanos.

Pessoas satisfeitas no ambiente de trabalho entregam melhores resultados.

Pamela Vilela é formada em Recursos Humanos pela UNIFIEO (2014), com MBA em Gestão Empresarial (2019).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *