EDUCOMUNICAÇÃO PRESENTE: Celular em sala de aula – o que podemos fazer para usá-lo como aliado na educação.

Share Button

Talvez você esteja lendo este texto diretamente no seu celular ou ele está bem próximo a você, estou certa? O celular tem sido, cada vez mais, companheiro inseparável do brasileiro, incluindo as crianças. Elas trocaram a boneca e o carrinho de controle remoto pelos jogos virtuais e vídeos no YouTube. Basta olhar as crianças da sua família ou na rua. Elas estão sempre de olho na telinha.

Isso pode se tornar um problema quando a interação com o aparelho é constante em sala de aula. No Brasil, o celular é mais utilizado entre jovens menores de 18 anos, sendo 83% deles, de acordo com uma pesquisa realizada pela TIC Kids, em 2016. Entre as justificativas, 73% dos meninos e 84% das meninas disseram que fazem uso do celular para realizar trabalhos escolares. E é aí que entra a utilização do aparelho como aliado da educação.

Conto, brevemente, uma experiência recente que tive em sala de aula, em um projeto que iniciei com adolescentes de uma escola de São Paulo. O tema era o jornalismo e propus uma dinâmica sobre ‘fake news’. Entre três manchetes de notícias mostradas, duas eram verdadeiras e uma falsa. A tarefa: eles tinham que diferenciar a falsa das demais. A falsa notícia versava sobre uma suposta lei com a qual o Governo de São Paulo proibia o uso de celulares em sala de aula. Todos proclamaram: ‘Esta é falsa. O celular pode ser usado para fins educativos’. E, rapidamente, contaram experiências de como é válido utilizar o aparelho em uma pesquisa, ou quando aquela resposta para alguma pergunta sobre atualidade precisa ser respondida rapidamente (não durante uma prova, bem entendido, frisaram).

A fluidez com que as crianças e adolescentes se conectam precisa ser bem aproveitada, adaptada à sala de aula e às realidades dos estudantes. Isto fará com que as atividades fiquem mais produtivas, ‘tecnológicas’, modernas e interessantes. Basta planejar com calma e contar com nossa própria expertise. Isto é Educomunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *