- Um café, meus pais e a escola, por favor? Por Viviane Cupello.

Share Button

‘Perdemos o prazo da avaliação!’. Ouvi minha mãe falando com meu pai antes de dormir, enquanto eles conversavam sobre o nosso dia. A escola tinha mandado uma avaliação para eu fazer e eles esqueceram de me dar.

Sabe o que senti? Minha mãe triste e meu pai muito chateado. Acho que eles ficaram igual a mim quando meus primos não querem brincar.

Todos os dias, minha mãe senta comigo para estudar e colocar a minha aula no computador dela ou no celular do meu pai para eu assistir. Às vezes, quando ela está dando aula, é meu pai que faz isso. Eu percebo que eles trocam. Também percebo que eles ficam nervosos quando algo dá errado. Os adultos dizem que é muito difícil cuidar de tudo. Vejo meu pai trabalhando na cozinha, porque ele faz as melhores comidas para as pessoas e uns bolos muito bons também, enquanto minha mãe fala com outras pelo computador; às vezes, são crianças, às vezes, são adultos. Ah! E toda hora ela fica dizendo que está ocupada, trabalhando ou estudando.

Eu fico entediada porque eles ficam o tempo todo no celular. Eles me explicam que estão trabalhando e que precisam disso para ganhar dinheiro. Quando a gente pode, vamos passear de carro na praia e eles compram um lanchinho na rua para mim. E eu adoro quando tem sorvete de sobremesa!

Mas, sabe aquela avaliação de que eles falaram naquela noite? Era uma tarefa da escola para fazer. Tinha que construir uma casa para passarinhos. Minha mãe pediu para minha avó fazer comigo e saiu para atender uma família. E, quer saber? Foi muito legal! Eu adorei escolher a caixa, cortar as portinhas, pegar folhas no meu quintal para montar e pensar qual comidinha os passarinhos comem. Minha avó me ajudou em tudo e eu não vou me esquecer de que fiz isso com ela. Porém, eu acho que meus pais estavam chateados. Acho que é porque eles já fazem muitas coisas todos os dias. E essa tarefa foi mesmo muito demorada!

Eu já estou lendo e escrevendo e meus pais ficam felizes com isso. Todo dia, de noite, eu leio um livro com a mamãe ou com o papai. Eles dizem que isso é muito importante para a minha vida. Minha avó falou que conhecer os animais também é bom, mas que meus pais estão com outras coisas na cabeça, sempre ocupando o dia deles. E eu acho que entendo. Não é todo dia que eu também estou a fim de assistir minhas aulas. Elas, às vezes, são muito entediantes porque, pelo computador, não é legal.

Agora, eu vou ter que observar os passarinhos virem na casinha que fiz para eles. Mas, olha, eu nunca vi um passarinho aqui no meu quintal. Não sei como eu vou fazer essa avaliação! Acho que é por isso que meus pais ficaram preocupados. Eles falam de uma nota que eu vou ter por causa disso. Não entendo muito, mas deve ser o que deixa eles preocupados.

Eu quero ver eles felizes. Eu também quero ser feliz e ter as melhores aulas com a minha turma. Entendo quando minha mãe fala que precisamos de paz. Ela nos faz bem. Fica todo muito calminho… então, já que meus pais adoram café, vou fazer um pedido:

– Um café, meus pais e a escola, por favor?

Eu vou me sentar com eles e contar como está sendo tudo isso. Acho que isso poderá ajudar todo mundo a se entender melhor. Já ouvi minha psicopedagoga falar sobre empatia enquanto me mostra uns personagens do ‘Divertidamente’ para eu entender minhas emoções.

Ela já me explicou algo sobre ‘se colocar no lugar do outro’.

Será que isso ajudaria eles? Eu vou tentar. E você?

Viviane Cupello é amante da Educação, das Artes e de Pessoas. É professora e pedagoga, especialista em Gestão Escolar e em formação na Gestão de Pessoas. Estudou teatro, sempre foi apaixonada pela escrita, escreve poemas no canal ‘Poetizei Poetizamos’ e tem como um dos propósitos de vida o trabalho social. Atua na Educação há 20 anos: é alfabetizadora, lecionou em turmas da Educação Infantil e Ensino Fundamental I, coordenou o turno Integral e ministrou cursos de Escolarização, Atualização e de Formação para adultos. Fundadora da CAPAS – Ações para Educação, acredita no desenvolvimento humano por meio da Educação.