TENDÊNCIAS - Retenção de talentos: como uma boa comunicação interna ajuda na retenção de quadros. Sylla Faruk.

Share Button

‘O segredo não é correr atrás das borboletas… é cuidar do seu jardim para que elas venham até você’. Mário Quintana.

As festas acabaram, o ano começou e as férias terminaram! Janeiro é momento ideal para traçar os nossos objectivos para o ano que iniciou, e o plano profissional destaca-se sempre. Nesta altura decidimos manter o que nos faz bem, e afastamo-nos daquilo que não nos acrescenta muito e, muitas vezes, a nossa motivação não vem apenas de um pacote salarial atractivo e… muitos talentos optam por fazer mudanças. Escolhem estar onde se sentem reconhecidos, motivados e parte de uma equipa.

A sensação de pertença, de que acorda-se todos os dias para conquistar algo, não vem apenas da motivação interna do colaborador, mas da liderança e da comunicação.

Nos últimos dias de dezembro, as pessoas estão concentradas nas festas e, de verdade, já não produzem… os líderes, chefes, estão motivados e esperam que as suas equipas tenham a mesma vontade e força de trabalhar durante este período, que tenham a mesma motivação e dedicação.

Acontece sim, é uma realidade… em equipas de alta performance, equipa de pessoas altamente motivadas, inspiradas… no seu líder.

Eu não me canso de frisar o aspecto do líder comunicador e da habilidade que este tem de mover multidões em torno dos seus ideais e metas. E a única diferença que estes líderes têm ao compararmos com os simples mortais, é a habilidade de comunicar.

Uma comunicação eficiente tem a capacidade de reter talentos. Pessoas estas que, com tanta garra, certamente poderão alcançar e superar as metas de qualquer empresa.

Antes de mais, e em jeito de curiosidade, a comunicação interna surgiu na década de 1960, quando se pretendia fazer divulgação de informações e novidades. Depois, veio a implementação da estratégia corporativa – na década de 1980. Finalmente, com os anos 2000, o foco passou para a construção de relações e sinergias internas, fortalecendo as marcas no mercado e conquistando vantagens competitivas sustentáveis.

A comunicação é um processo pelo qual informações, intenções, factos, atitudes, sentimentos e ideias, são transmitidos e recebidos pelas pessoas.

Significa que só há comunicação quando há diálogo, isto é, quando há troca de conteúdo com feedback, portanto, a comunicação é a partilha de significado entre indivíduos. Ou seja, a comunicação é uma via de mão dupla.

Mas como é que a comunicação pode ajudar na retenção de talentos?

Para que a retenção de talentos seja efetiva, a comunicação interna deve ser tida como uma estratégia pela direção da empresa, e mitigar de uma vez por todas, a ideia de que este é um departamento de festas!

Como já havíamos conversado anteriormente, não basta criar-se eventos, tem que se fazer uma análise ao clima organizacional da empresa antes de se implementar qualquer atividade interna, caso contrário, corremos o risco de obter resultados contrários.

As empresas normalmente comunicam com os seus colaboradores através de e-newsletters e boards que ficam afixados em áreas comuns, no entanto, desta forma, o colaborador apenas é informado, pois não há espaço para um diálogo nem existe feedback.

Algumas formas de garantir que haja uma comunicação com os colaboradores:

– Reuniões trimestrais ou semestrais com todos os colaboradores, desde directores, gestores e staff, é uma óptima oportunidade para integração.
– Reuniões num ambiente mais descontraído, um cocktail, com todos os colaboradores para uma conversa sobre os resultados alcançados, os objectivos futuros, os clientes etc.
– Durante estes encontros é importante que notícias menos positivas sobre a empresa também sejam pauta da conversa para que, a partir disso, todos possam trabalhar em rumo às soluções necessárias.

Com estas iniciativas a empresa promove, além do entrosamento das equipas, o desenvolvimento de um pensamento mais crítico e estratégico, independentemente da posição hierárquica de todos os presentes e de forma focada e integrada, caminhando para o crescimento continuo e positivo e trazendo benefícios para a organização e seus colaboradores.

É importante considerar a transparência da comunicação, transmitindo sempre os valores, missão e visão da empresa aos colaboradores, para que estes sintam-se parte integrante da empresa.

Às vezes, gostava de abrir a cabeça de alguns gestores e, de uma vez por todas, formatar-lhes e deixar a informação de que, apenas as soluções tradicionais, como capacitação e implementação de benefícios, não são os únicos caminhos para a retenção. Uma boa comunicação interna mostra-se, na verdade, como uma ferramenta muito eficaz além de estratégica.

Quando a comunicação flui de forma eficaz, existe uma melhoria na cultura e clima organizacional. O fluxo de trabalho é mais eficiente e as equipas são mais coesas e engajadas.

Como em todos os aspectos da nossa vida, e em todas as relações, a base do sucesso é uma comunicação eficiente. Tal como no casamento, sempre que o diálogo é estimulado, existe feedback e a opinião é valorizada, a retenção é garantida!

Acho que muitos de nós esquecemos que passamos mais tempo no nosso local de trabalho do que em casa, e deixamos de aplicar a mesma dedicação e vontade de fortalecer também os laços desta família criada fora de casa.

A comunicação é a base do sucesso ou fracasso de todas as relações.

Somos todos movidos por planos, projectos, sonhos… que só podem ser concretizados através de uma estratégia e de uma equipa motivada e engajada no projecto!

O importante é receber e dar feedback, e criar canais de comunicação quer para distribuir informação como para receber sugestões, quando conseguimos criar uma comunicação que flui, não precisamos de nos preocupar mais, pois sabemos que os nossos jardins estão regados e as borboletas não irão embora.

De novo, como escreveu Mário Quintana: ‘O segredo não é correr atrás das borboletas… é cuidar do seu jardim para que elas venham até você’.

Sylla Faruk é profissional de Comunicação e Relações Públicas com de 15 anos na área. Sylla, por ela mesma: ‘A minha vocação é a minha maior paixão!’.