A REDAÇÃO É UMA COZINHA - O que faltava aconteceu.

Share Button

A Associação Nacional de Jornais vai premiar a criadora do maior caso de ‘fake news’ das eleições de 2018. É a cereja que faltava no bolo da inversão de valores que se vê no país. Até o Tribunal Superior Eleitoral sabe quem praticou falsas notícias na campanha eleitoral e aplicou multa, mas a ANJ decidiu ignorar o que aconteceu e dar continuidade à narrativa.

CLIPPING – https://www.anj.org.br/site/component/k2/73-jornal-anj-online/21049-brasileira-esta-entre-os-vencedores-do-premio-de-liberdade-de-imprensa-do-cpj.html?fbclid=IwAR3t1_hWm5TWqey0h32V7APcsDrL1GGt4oUHp13tDd0nebonELzwGnZHJYE

Ruth Simões. Nasci jornalista. Não me imagino fazendo outra coisa, nem sabendo que a esta altura da vida não fiquei rica. Em compensação, vivo feliz. Comecei na assessoria de imprensa do Projeto Rondon, depois de passar pela Rádio e TV Nacional, jornal Zero Hora e página de Televisão do Jornal de Brasília. Integrei as assessorias de imprensa do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, Ministérios do Trabalho e da Previdência, Radiobrás, TV Globo, TV Bahia, Rádio Senado e tribunais, onde fiz uma espécie de especialização e fiquei nos últimos anos: Tribunal Superior Eleitoral, Superior Tribunal de Justiça e TV Justiça, no Supremo Tribunal Federal. Sou repórter, editora multimídia e presto consultoria em Comunicação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *