Por que antes de fazer marketing você precisa aprender a vender? Por Kelly Helena.

Share Button

Se eu te desse agora um produto para vender, qual seria sua primeira tática de venda?

– Mas eu não sou um vendedor – você pode dizer.

E isso é realmente o que muitas pessoas acreditam: que não são vendedoras.

Engano! Todos somos vendedores, ou melhor, negociadores. Isso porque estamos o tempo todo negociando. Isso mesmo, negociando.

Quando você vai a uma loja e pede um desconto, você está negociando.

Quando você fala do seu trabalho (aquele que você acredita que por ser um serviço não tem nada a ver com vendas), você está negociando.

Quando você faz uma entrevista de emprego, você está negociando.

Acredite, quando você está paquerando, você está negociando.

O tempo todo em nossas vidas estamos fazendo negócio e a forma como o fazemos é o que determina o sucesso das nossas ações, seja comprando, vendendo, sendo entrevistado, paquerando e até pedindo um aumento ao chefe.

Tudo vai depender do nosso poder de persuasão. E é por isso que muitas pessoas falham na hora de trabalhar com marketing, porque não sabem vender.

Existem milhares de ‘técnicas infalíveis’ para saber persuadir, cursos e mais cursos para aperfeiçoar aquilo que já inato do ser humano.

Algumas pessoas e estudos dizem que o nosso corpo responde ao outro o que queremos e da mesma forma o outro também responde fisicamente aos nossos estímulos (tipo na paquera mesmo, quando a gente sabe que aquela cantada não colou). Por isso, não só se conhecer e conhecer o universo do que você está negociando é importante, como também, conhecer o outro lado.

Algumas técnicas para ajudar a começar uma venda estão diretamente ligadas com estratégias que posteriormente serão utilizadas no marketing que você irá fazer, seja pessoa, de um produto ou serviço.

Crie ganchos: sabe aquele vendedor chato que vem te contando toda a história do produto, das vantagens, do por que você precisa daquilo etc.? Não seja essa pessoa.

Quantas vezes você se deparou com alguém neste perfil e mal ouviu o que a pessoa tinha p’ra te dizer? Pois, é! Você não quer ser essa pessoa, certo?

Portanto, crie ganchos que façam com que a pessoa com que você negocia te dê informações acerca do que você está vendendo. Deixe que ela te mostre o que ela pensa a respeito, como ela vê ou não o produto/ serviço, enfim, crie maneiras de tirar as informações que você precisa para realmente saber se o que você oferece é para aquele cliente. Isso é uma das técnicas que mais funcionam quando você aplica ao marketing do seu negócio, deixar que o seu público te direcione para o que ele espera que você ofereça.

Abuse do conhecimento: nunca ache que o que você sabe a respeito do seu produto/serviço é suficiente. Da mesma forma, não acredite que todos os possíveis compradores são iguais.

Cada negociação é uma nova história. Você precisa estar alinhado com o que oferece, não só no sentido de saber todas as funcionalidades, vantagens etc., mas a fim de saber como está o mercado, como ele é visto perante marcas concorrentes, história, visão futurística e tudo o que for possível.

Da mesma maneira, conheça seu possível cliente. No marketing, para que você acerte exatamente na pessoa certa, você cria personas, que são a ‘personificação’ do seu cliente ideal, que dá uma visão ampla de como ele gostaria de ser impactado pelo que você vende.

Percebe que grande parte do processo pode ser resolvida quando você sabe vender? Isso é essencial.

E se você tem dificuldades em criar essas estratégias e diretrizes que vão permear seu plano de negócio de marketing, faça uma pausa e aprenda a vender. Recuar e começar da base é uma poderosa ação para se chegar ao topo.

Kelly Helena é formada em Jornalismo pela Unitau, tendo trabalho em jornais impressos, TV, revista, assessoria de imprensa e, há mais de cinco anos, no Marketing Digital sendo especialista em conteúdos inbound.