PAPO DE TERÇA - Mais do que humanizar a comunicação, conheça os desejos da sua audiência. Por Nathália Corrêa.

Share Button

Muito tem se falado sobre a humanização das marcas e aproximação com as pessoas. Já sabemos que o consumidor não quer mais comprar um produto ou um serviço e sim uma experiência. As empresas estão cada vez mais vendendo lifestyle e emoções. As pessoas compram um produto na esperança de trazer mais sentido para a vida delas ou por identidade. ‘Sou o que eu consumo’. Mas, qual o tipo de lifestyle o público da minha marca deseja? Para ser assertivo na comunicação e responder a esta pergunta, é necessário se colocar no lugar desse público.

Hoje em dia, é raro encontrar uma empresa que não possua uma presença nas redes sociais. Portanto, se a sua empresa está presente no Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn ou outra rede, ela conversa diretamente com o consumidor ou usuário. E como é feito esse diálogo? Será que você produz o tipo de conteúdo que a audiência deseja consumir? Ainda encontramos muitas empresas que adotam um discurso exclusivo de vendas nas redes sociais ou produzem um conteúdo chato, cansativo e que não instiga ninguém a parar e ler. As redes sociais são canais de diálogo e entretenimento entre pessoas. Você não entra no Instagram, por exemplo, decidido a realizar uma compra. O conteúdo da marca precisa ser objetivo, dinâmico, criativo e passar a mensagem certa para atrair sua atenção. Se a abordagem ali no seu feed for boa, você pode ser direcionado para compra, não é mesmo? Ou seja, as redes sociais servem como isca para a conversão. Para montar essa isca e fisgar o potencial cliente, veja 3 passos indispensáveis.

1. Saber com quem você está conversando

Faça um mapeamento do perfil do seu público. Para ser mais assertivo, crie uma persona com nome, idade, ocupação, anseios e dificuldades. Em seguida, tente compreender como é a rotina dessa pessoa, o que a conecta à sua marca e como o seu produto – ou serviço – pode ser útil para ela. Assim, você começa a criar mais relacionamento com seu potencial público.

2. Possuir uma estratégia de conteúdo

Antes de sair postando, tenha um plano de ação. Pense como se você fosse o consumidor e o impacto que o conteúdo produzido teria no seu feed. Alterne sempre conteúdos de vendas com conteúdos mais leves que representem a sua marca ou que sejam úteis ao seu seguidor sem que ele precise efetivamente comprar; algo como dicas ou brinde gratuito.

3. Criar um storytelling rico

Toda marca conta uma história. Qual a história que a sua está contando? Crie expectativas e gere resultados à altura. Não ter medo de ousar é um caminho para começar a produzir conteúdos com que o seu público se identifique. Conte histórias que façam com que as pessoas se reconheçam nelas. A sua comunicação pode ter uma narrativa linear, com propósito e não traços soltos que não almejam objetivo algum.

O autor e empreendedor Seth Godin tem uma frase que diz o seguinte: ‘Não ache clientes para os seus produtos. Ache produtos para os seus clientes’. Direcione os esforços ao que sua marca tem de mais valioso: o público. Compreenda os desejos, analise os perfis e mãos à obra para melhorar a comunicação e a entrega.

Imagem: Toa Heftiba por Unsplash

Nathália Corrêa é bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e tem MBA em Marketing Digital. Atua na gerência de marketing e mídias sociais.