PAPO DE TERÇA - 'Home office' revela a falta de comunicação interna nas empresas. Por Nathália Corrêa.

Share Button

Há algumas semanas, empresas do país e do mundo inteiro, foram forçadas a pausar suas atividades por conta do isolamento social ocasionado pela propagação da pandemia de Covid-19.

Uma alternativa para manter o trabalho em execução é o home office. Alguns profissionais já possuem essa flexibilidade e, portanto, adotar o método não se torna uma tarefa difícil.

O home office é uma opção de trabalho remoto que cresceu no mundo inteiro, passando a ser a realidade de muitos profissionais. Há um número relativo de empresas que trabalham apenas nesse regime pela vantagem da redução de custos. Mas, ainda existem aqueles gestores que não adotam home office por desconfiarem do método e acreditarem que a falta de uma supervisão presencial irá reduzir a produtividade de seus colaboradores. Os dados, porém, mostram o contrário.

Professores da Harvard Business School realizaram uma pesquisa – em 2019 – com o objetivo de entender se a flexibilidade de escolha do local de trabalho afeta a produtividade. O resultado foi um aumento de 4,4% na produtividade sem afetar a qualidade, pois não houve aumento em erros ou retrabalho.

Adotar o home office exige uma organização interna bem alinhada. Mas… e aquelas empresas, até mesmo do setor de comunicação, que não possuem um bom fluxo interno de informação?

Os gestores que sempre abominaram a prática do home office estão sendo obrigados a aprender a comunicar, liderar e acompanhar seus colaboradores à distância. Esse cenário tem revelado a obsolescência do modelo de gestão e os ruídos nos procedimentos internos de comunicação das pequenas e grandes empresas. Também mostra a postura de quem está à frente, diferenciando os verdadeiros líderes, aqueles que conseguem se adaptar com facilidade, dos chefes, os que ainda estão presos a modelos ultrapassados de liderança.

Nesse momento, o ‘pensar fora da caixa’, muito usado no discurso de gestores de áreas ligadas à criatividade, pode se tornar uma prática para expandir a visão e ensiná-los a liderar – mesmo – fora da caixa, da bolha, e do lado de fora das paredes da empresa.

Veja 5 dicas para melhorar a coordenação de uma equipe em home office:

1. Seja paciente

Nem todos os colaboradores possuem a estrutura adequada para executar o trabalho em casa. Seja pela velocidade da internet, qualidade do computador ou ambiente para trabalhar. Como, para muitos, não foi uma escolha e sim um método de urgência, é essencial mostrar compreensão e oferecer apoio. Essa atenção é um diferencial que pode tranquilizar o emocional e aumentar a produtividade da sua equipe.

2. Crie gestão de tarefas com deadline

A organização e os procedimentos internos são essenciais para uma empresa se movimentar, certo? Nessa fase, eles se tornam indispensáveis. Disponibilizar a lista de atividades que devem ser cumpridas logo no início do dia, reunindo todas as informações necessárias para a sua execução e o prazo de entrega, podem ser alternativas para manter o resultado do trabalho e a produtividade dos colaboradores, evitando atrasos.

3. Não realize calls a toda hora

A chamada de vídeo em grupo é a melhor ferramenta para reuniões on-line entre departamentos específicos, podendo promover discussões e aproximar o grupo, virtualmente. Mas elas devem ser usadas com moderação, pois podem desviar o foco e atrasar a execução das tarefas. O ideal é fazer a chamada com uma pauta em mãos para que o objetivo da reunião seja alcançado sem muitas delongas.

4. Estabeleça um canal único para comunicação interna

Se a sua empresa ainda não possui uma rede social corporativa, esse é o momento. Escolha um meio para centralizar a comunicação entre todos e evitar que a informação se perca. Assim, você mantém a equipe reunida e alinhada.

5. Respeite o horário do expediente

O isolamento social e o home office não significam que o seu colaborador está disponível mais do que o estabelecido. Respeite o horário do expediente e, se for necessário, adote um ponto eletrônico para computar aquelas horas extras. Entenda que além de ter outras ocupações, sua equipe precisa descansar o corpo e a mente.

Toda relação, independente de qual seja, deve ser pautada na confiança para dar certo. Cada um encontra seu próprio jeito de produzir, seja em um canto da casa mais fechado, no quintal ou no quarto. Nesse momento, cabe ao gestor lembrar que foi ele quem escolheu as pessoas que ocupam os cargos na sua equipe. Acompanhar o trabalho é necessário, mas dar o voto de confiança é essencial. É mostrar preparação para gerir, motivando resultados impressionantes.

Mostrando o caminho e acreditando nos passos de cada colaborador, a empresa segue unida na direção certa para sobreviver à crise.

Imagem: Thought Catalog.

Nathália Corrêa é bacharel em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e tem MBA em Marketing Digital. Atua na gerência de marketing e mídias sociais.