Mundo pós-pandemia: o alerta do cisne e como prever os próximos passos. Por Kelly Helena.

Share Button

É difícil falar e afirmar sobre tendências dentro do marketing quando você vive no meio de pandemia em um mundo de incertezas.

Mas, será que o que estamos vivenciando já consegue nos dar um panorama do que nos aguarda no futuro?

Será que o que já foi previsto não se encaixa ao momento atual e a nós só falta colocar em prática?

Parando para pensar, você tem se sentido dentro de um filme sobre o fim do mundo? Tem encarado o período com o pessimismo de quem acha que as coisas ainda podem piorar ou com o otimismo de que se está ruim é porque ficará muito bom?

Aparentemente, estamos vivendo dentro de um roteiro distópico de filme. Crise financeira, brigas no poder, polarização, escassez de recursos e a ansiedade agoniante de esperar por uma vacina que possa fazer com que as coisas voltem a ser como eram.

Porém, o que mais se ouve é que não dá p’ra voltar ao ‘normal’. E por que isso anda sendo tão falado?

Primeiramente, tudo que estamos vivendo já não era uma novidade entre estudiosos, bem antes do surgimento da Covid-19.

Vários estudos, teorias e tendências sobre consumo e comportamento humano já foram traçadas lá atrás, buscando uma solução para o que já era previsível. Sim, a pandemia era prevista! Uma dessas teorias feitas lá atrás e que vêm sendo usadas para tentar explicar o momento que estamos vivendo chama-se ‘Teoria do Cisne Negro’, idealizada por Nassim Taleb, e que dá nome ao livro lançado em 2007, onde é apresentada.

A lógica da teoria é classificar acontecimentos e seus resultados. Em seu lançamento, Taled disse: ‘À medida em que viajamos mais neste planeta, as epidemias serão mais agudas – teremos uma população de germes dominada por alguns números e o assassino bem-sucedido se espalhará muito mais efetivamente’. Para isso, ele apresentou três classificações de cisnes:

Cisne Negro > Imprevisível> Impacto Massivo> Ligação lógica forçada para torná-lo menos aleatório e mais previsível.

Cisne Cinza > Previsível > Impacto em cascata> Mudança de foco para erros de julgamento ou alguma outra forma humana de causa.

Cisne Branco > Certeza> Impacto facilmente estimado> Mudança de foco para erros de julgamento ou alguma outra forma humana de causa.

Hoje, o autor classifica a pandemia do coronavírus como um Cisne Branco. Talvez você não conheça Taled e não acredite ou entenda sua teoria. Mas… há 15 anos, o Conselho Nacional de Inteligência dos EUA (NIC) vem alertando sobre um possível cenário pandêmico no ano de 2020. Sim, é isso mesmo que você leu: há 15 anos se vem alertando repetidamente sobre uma possível pandemia e os impactos políticos, econômicos e militares que poderiam ser desencadeados.

Você também não conhece o NIC?

Mas, você conhece Bill Gates, certo?

Ele também falou sobre esse alerta do NIC em uma apresentação TED em 2015.

Parece que o mundo não deu ouvidos a todos os alertas.

E agora, como faremos?

Em todo esse cenário de teorias, previsões, alertas e o que de fato estamos vivendo, só nos resta entender de que forma podemos viver dentro desse cenário e, como e quais adaptações podemos fazer nesse novo modo de vida, que muda nossos comportamentos diante de trabalho, consumo, lazer etc. Podemos fazer isso observando o que nos atinge primeiro, a forma como nos atinge, nossas fragilidades, maiores necessidades e como estamos encarando e nos transformando nesse período. Isso nos ajudará a entender os novos comportamentos e se eles perdurarão, de que forma etc.

No meio disso tudo, fica clara e evidente a necessidade de readaptação e principalmente de cooperação entre a população. Os laços digitais podem estar e continuarão mais fortes, mas o que os sustentará ainda é o laço humano. Por isso, vale lembrar que tudo que estamos vivenciando é novo e, logo, não há uma definição de certo e errado, mas sim, de adaptações que vamos experimentando e aprovando ou não.

Estamos todos conectados!

Referências, para saber mais:

https://thedispatch.com/p/how-the-intelligence-community-predicted

https://www.youtube.com/watch?v=6Af6b_wyiwI

https://hub.jhu.edu/2019/11/06/event-201-health-security/

http://riskarticles.com/wp-content/uploads/2012/11/Black-Swans-Grey-Swans-White-Swans-Vigilance.pdf

Kelly Helena é formada em Jornalismo pela Unitau, tendo trabalho em jornais impressos, TV, revista, assessoria de imprensa e há mais de cinco anos no Marketing Digital, sendo especialista em conteúdos inbound.