GOVERNANÇA DA INOVAÇÃO - Israel: Startup Nation.

Share Button

Nas últimas semanas tenho ouvido e pesquisado bastante sobre Israel e a construção de todos os pilares que fizeram com que o país fosse, hoje, reconhecido como Startup Nation.

Startup Nation é o país que concentra a maior média de empresas de tecnologia por habitante, 1 a cada 1.400 pessoas. No Brasil, esse número é de apenas 1 por 33 mil habitantes (quase 20 vezes menor).

Muito do que usamos hoje teve origem em Israel: empresas como Waze – navegação por satélite, Wix – plataforma para criação de sites, Fiverr – marketplace para freelancers, Mobileye – sensores que auxiliam na prevenção de colisões automobilísticas, o pen-drive, a memória flash do computador, entre tantas outras inovações.

Por isso, resolvi juntar aqui algumas das informações mais interessantes sobre esse país (e confesso que ele entrou no meu ranking de países a conhecer pessoalmente).

O oficialmente denominado Estado de Israel é uma democracia parlamentar (existe um Chefe de Estado e um Chefe de Governo ou Primeiro-Ministro), localizado no Oriente Médio, com 22 mil km² de extensão territorial (o que representa 0,25% do território brasileiro), e cercado por vizinhos abertamente declarados inimigos.

Por ser um país pequeno e com poucos recursos naturais, a única saída foi a busca constante por sobrevivência. Por isso, a economia israelense sempre foi impulsionada por indústrias de base eletrônica, de computadores e tecnologias de comunicação – uma realidade provocada por mais de cinco décadas de investimentos em infraestrutura de defesa. Além disso, o Exército traz grandes contribuições para a formatação do País. O serviço militar é obrigatório para toda a população, tanto homens como mulheres, que aprendem técnicas de liderança, trabalho em equipe, a improvisar, e se sacrificar em prol de um objetivo maior.

Diferentemente de países como Brasil ou Estados Unidos, em Israel as IDF (Israel Defenses Force) são conhecidas como um ambiente de pouca intervenção hierárquica, em que a capacidade criadora e a inteligência são colocadas à prova constantemente. Espera-se deles que improvisem, mesmo que isso signifique quebrar algumas regras (já percebeu de onde saem as ideias mais disruptivas do mundo, não?).

A educação também é bastante incentivada no País. Em 2018 foram investidos 13 bilhões de dólares em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), o equivalente a 4,3% do PIB – é a relação percentual mais alta do mundo. Além disso, é o terceiro país com mais publicações científicas com fins práticos. Doze ganhadores do Prêmio Nobel são israelenses, sendo 6 apenas na última década. Somado a isso tudo, Israel é um dos países mais receptivos a imigrantes e acolhedor de diferenças. Tel-Aviv é reconhecida como a cidade mais receptiva da comunidade LGBT do mundo. Também é a cidade onde os israelenses criaram o seu próprio Vale do Silício, o Silicon Wadi, que reúne todos os tipos de startups, empresas de investimentos e indústrias de alta tecnologia.

Israel é, sem sombra de dúvidas, um dos ecossistemas empreendedores mais maduros do mundo, e isso não tem ligação com a idade, já que o país tem pouco mais de 70 anos. Há intensa integração e alinhamento em termos da importância do empreendedorismo para o país entre players da iniciativa privada, governamental, acadêmica, grandes empresas, startups, militares somados com capital abundante, cultura que apoia o empreendedorismo e visão focada em criar negócios globais. Mais de 300 multinacionais apresentam centros de pesquisa de alta tecnologia no país, incluindo Microsoft, IBM, Apple, HP, Intel, Google, Facebook e Motorola. Israel também ostenta mais empresas listadas na Nasdaq do que toda Europa, Japão, Índia, China, Coréia do Sul e Cingapura juntos. A bolsa de valores eletrônica, vale lembrar, reúne as maiores empresas de alta tecnologia do planeta. Todas essas características fizeram com que Israel ocupasse a primeira posição do ranking mundial de competitividade, segundo o Relatório Global do Fórum Econômico Mundial de 2019. O País com certeza tem chutzpah.

Chutzpah é um dos termos essenciais do mindset local – significa que você tem tenacidade e que está disposto aos sacrifícios necessários para chegar onde deseja.

E você, tem chutzpah?

Tamiris Dinkowski é entusiasta e apaixonada por governança, inovação e o mundo das startups. É Contadora formada pela UFSM, especialista em Controladoria e Finanças pela PUCRS. Atua há mais de 5 anos com governança e gestão da inovação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *