GOVERNANÇA DA INOVAÇÃO - É preciso ser uma grande empresa para aplicar a Governança da Inovação?

Share Button

Quando falamos em Governança logo nos vem à mente as regras da Governança Corporativa, formada por Conselhos, Diretoria, auditoria, comitês, lideranças hierarquizadas etc. Estruturas que normalmente encontramos em grandes empresas.

No entanto, a organização da Governança Corporativa não serve apenas para grandes empresas, ela pode ser adaptada para pequenas e médias empresas e, inclusive, para startups, assunto esse que trataremos em outro momento.

A Governança da Inovação, assim como a Governança Corporativa, também pode ser adaptada para qualquer tipo de empresa, visto que o grande diferencial dessa metodologia é a capacidade de adaptação.

Já tratamos aqui sobre os seis passos para implementar a Governança da Inovação em uma empresa. E esses seis passos são iguais para qualquer tipo e porte de empresa. A única diferença será a forma de execução de cada um. (Se você quiser ler sobre esses passos, é só clicar aqui).

No entanto, antes de começar, algumas perguntinhas básicas podem ajudar a verificar se você precisa mesmo aplicar os princípios do Governança Corporativa. Pois, lembre-se, aplicar uma metodologia só porque ela está na moda ou porque todo mundo já tem aplicado, não significa que o seu negócio precisa dela também.

1a. pergunta: por que inovar?

Definir as razões que fazem com que a empresa se mobilize em prol da inovação. É para reforçar o negócio atual? Para gerar novos negócios? Esse alinhamento estratégico é decisivo para garantir a coerência e continuidade de alocação de recursos em momentos de incerteza, crise ou dúvidas sobre as iniciativas de inovação.

2a. pergunta: quanto inovar?

Definir o nível de investimento despendido em torno da inovação. E, neste caso, não apenas investimento financeiro, mas em questão de tempo, estrutura, alocação de pessoas etc.

3a. pergunta: onde inovar?

Momento de decidir onde a empresa irá inovar e onde ela não irá inovar. É preciso definir os focos para onde os esforços em prol da inovação serão direcionados: entrará em novos segmentos de mercado? Investirá numa tecnologia emergente? Desenvolverá novos produtos? Buscará novos modelos de negócios?

4a. pergunta: como inovar?

Definição de qual modelo incentivador da inovação a empresa irá adotar. Já listamos aqui os 8 modelos da Governança da Inovação que podem ser adotados. No entanto, existem inúmeros outros modelos disponíveis por aí, basta analisar qual melhor se adapta à cultura da empresa.

5a. pergunta: com quem inovar?

A inovação não precisa acontecer de maneira isolada dentro da empresa. A época de apenas investirmos em departamentos de P&D internos não existe mais. Buscar parceiros estratégicos, se aproximar de universidades e incubadoras tecnológicas, investir em open innovation, podem ser caminhos a serem seguidos para o estímulo da cultura inovadora dentro da empresa.

Tamiris Dinkowski é entusiasta e apaixonada por governança, inovação e o mundo das startups. É Contadora formada pela UFSM, especialista em Controladoria e Finanças pela PUCRS. Atua há mais de 5 anos com governança e gestão da inovação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *