DNA DE MARCA - Big Brother Brasil é o Super Bowl brasileiro?

Share Button

O Big Brother Brasil começou há poucas semanas e já chamou a atenção de todos. As marcas que não são bobas nem nada já estavam de olho nessa imensa popularidade do programa da Globo e na exposição que as empresas patrocinadoras iriam ganhar.

Como todo mundo deve imaginar, o custo para patrocinar o programa é muito alto e nem todas as marcas podem arcar com esse valor exorbitante para estar na TV, mas parece que desde a edição de 2020 uma grande parte delas ficou de olho para conseguir um espacinho no reality.

A edição do ano anterior teve 30 vezes mais repercussão que a edição do Super Bowl 2020, final do campeonato da principal liga de futebol americano dos Estados Unidos, conhecida por cobrar fortunas por espaços publicitários durante a transmissão do evento.

O BBB 2020 teve mais de 137 milhões de tweets, 557% maior do que na edição de 2019. O programa conquistou 6.990 Trending Topics no Brasil e 1.240 Trending Topics no mundo – o que resultou em um impacto de 1,1 bilhão no Twitter, 1,7 bilhões no Facebook e 621 milhões de impactos no Instagram. Mesmo que você não assistisse ao programa você certamente seria impactado por ele. Além disso, o reality teve 37 milhões de telespectadores por dia e 167 milhões de telespectadores durante todo o programa.

É claro que em 2021 não poderia ser diferente e o reality com certeza continuaria crescendo nas casas brasileiras. Patrocinar o BBB é ótimo para marcas que querem fixar-se na cabeça do consumidor, pois ela ficará exposta por quatro meses seguidos.

Antes mesmo de anunciar a nova edição, o programa já tinha fechado parceria com dez marcas. Em 2021, os principais patrocinadores são: Avon, Americanas, Amstel, C&A, McDonald’s, Procter & Gamble e Seara. É bom lembrar que nas últimas duas edições o Burger King era um dos principais patrocinadores e perdeu lugar para seu concorrente.

As marcas dessa edição já apresentaram picos nas buscas. Em uma prova do líder que foi patrocinada pelo McDonald ‘s, a marca teve um pico de busca e foi parar entre os assuntos mais pesquisados no Google. Isso mostra a grande influência das ações realizadas dentro do programa.

Antes de focarmos nosso olhar para o Super Bowl é melhor assistir ao Big Brother Brasil e notar que temos bem perto de nós um programa com potencial muito melhor. Ao contrário do que acontece em novelas e filmes brasileiros, que as ações de merchandising são pouco trabalhadas e não conquistam o público, na casa do BBB esse merchandising é extremamente elaborado e já está inserido no contexto do programa, o que torna tudo muito melhor para as marcas.

Maria Gabriela Tosin é graduada em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e especialista em Mídias Digitais pela Universidade Positivo. É criadora do blog pippoca.com, atuou como pesquisadora na área de artes e mídias digitais e no momento atua em agências de publicidade e é colaboradora em diversos blogs.