Copa: "Eles estão roubando vocês!"

Share Button

Às vésperas da Copa do Mundo no Brasil, foi lançado um livro do jornalista britânico Andrew Jennings.

Por Giulia Afiune, em 20/05/2014 – reproduzido da Agência Pública (08/05/2014).

Em livro recém-lançado no Brasil, o jornalista britânico Andrew Jennings desnuda a farsa dos ingressos da Copa e avisa: os brasileiros estão pagando por uma Copa que só trará lucro para a FIFA e seus patrocinadores. Confira a entrevista e um trecho do livro.

“Conseguir um ingresso para a Copa do Mundo é ganhar na loteria”, resume o jornalista britânico Andrew Jennings, parceiro da Agência Pública, ao falar de seu novo livro “Um jogo cada vez mais sujo”, lançado no Brasil no dia 5 de maio pela Panda Books.

A FIFA novamente é o alvo das investigações de Jennings, desta vez focada na distribuição de ingressos por sorteio anunciada para os torcedores que, segundo ele, esconde um mundo de negócios sujos, mercado negro e troca de favores. O repórter também revela outros negócios ilegais que enriqueceram dirigentes da FIFA, incluindo os brasileiros Ricardo Teixeira (ex-presidente da CBF e do Comitê Organizador Local) e João Havelange (ex-presidente da CBF e da FIFA).

Com um estilo descontraído e irônico, Jennings conta quem são os irmãos mexicanos Jaime e Enrique Byrom, donos do grupo Byrom PLC, acionista majoritário da Match Services e da Match Hospitality, prestadoras de serviços da FIFA. São eles que controlam todos os negócios relacionados a ingressos, acomodações e hospitalidade nas Copas do Mundo da FIFA. E fazem mais: no livro, o jornalista prova que nos mundiais da Alemanha, em 2006, e da África do Sul, em 2010, os Byrom forneceram ingressos para o vice-presidente da FIFA, Jack Warner, vender no mercado negro em troca de votos que os favoreciam no Comitê Executivo da entidade (que “se acha” mais importante que a ONU, por ter mais países filiados a ela que as Nações Unidas).

Jennings recebeu e-mails do advogado dos Byrom, ameaçando processar jornalista e editora, mas não pretende se calar. “Eu disse que se eles continuassem, ia publicar os documentos”, contou o jornalista em entrevista à Agência Pública na qual detalha os negócios ilegais relacionados aos ingressos e os motivos que fazem da Copa do Mundo um pote de ouro para a FIFA e os patrocinadores sem trazer benefícios para o torcedor.

Como a entrevista é muito longa para publicar aqui, convido-os para a sua leitura em http://www.emdiacomacidadania.com.br para saber de tudo o que ele conta.

Bom proveito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *