A publicidade e o Dia Internacional da Mulher. Por Delziana Souza.

Share Button

O Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março, é uma data que foi oficializada pela ONU no ano de 1975. Mas… você sabe por que ela foi escolhida? Ela está relacionada ao incêndio que aconteceu no dia 25 de março de 1911, na Triangle Shirtwaist Company, que resultou na morte de muitos trabalhadores da empresa, revelando as más condições de trabalho que mulheres enfrentavam durante o período da Revolução Industrial.

É uma data altamente relevante e que representa, também, uma série de lutas e conquistas das mulheres (inclusive as atuais), e que merece ser lembrada e sempre reforçada. Entretanto, muitas marcas e lojas a enxergaram como uma boa oportunidade para o comércio, sendo que umas focam mais nas vendas e outras na conscientização. Porém, em uma data de grande importância como essa, é necessário ter muito cuidado para a campanha não se tornar polêmica e causar transtorno para as pessoas e para a própria empresa.

De um lado, houve muitos anúncios com repercussão negativa como no caso da campanha ‘Juntas somos mais fortes’, do McDonald’s, de 2018. Na ação, alguns restaurantes da rede operaram com uma equipe 100% feminina. Essa tentativa de homenagem gerou incômodo porque foi utilizada de forma inadequada, uma vez que causou a impressão de colocar as mulheres em uma jornada mais extensa de trabalho. Em nota, o McDonald’s afirmou depois que só houve um remanejamento da equipe entre os restaurantes.

Por outro lado, tivemos marcas que apoiaram o empoderamento feminino e trouxeram toda a sua importância para suas campanhas, além de reforçarem a ideia de que mulheres podem ser e fazer tudo o que quiserem. Seguem-se dois vídeos que representam muito bem a ideia.

Vide caso Netflix:

 

Essa campanha não é do ano de 2020. O que eu quero mostrar é que ainda temos muito o que evoluir e aprender sempre!

A grande questão é que hoje todos somos formadores de opinião. Então, é muito importante ter empatia e se colocar no lugar do outro para entender que a melhor forma de não cometer esses erros em uma campanha é priorizando quem está no centro dela, que são as pessoas, e não a visibilidade a qualquer custo.

A campanha a seguir, da marca ‘Quem disse, Berenice?’ não foi feita para o Dia Internacional da Mulher, mas segue como inspiração para outras ações de empoderamento feminino:

 

Delziana Souza por ela mesma: Delziana (que é chamada também de Dedê) é redatora publicitária formada pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora (CES/JF). Trabalha na criação de campanhas e ações para uma construtora da cidade. Tem, também, ampla experiência em agências. É mineira e não recusa uma boa conversa.

Portfoliohttps://www.behance.net/dedesouza | LinkedInhttps://www.linkedin.com/in/delzianasouza/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *