A morte dos direitos trabalhistas.

Share Button

Motoristadeonibus

Esta semana, 267 deputados votaram pela aprovação de um – absurdo – projeto de lei que permite que a jornada de trabalho dos motoristas profissionais chegue a 12 horas diárias. Apenas Chico Alencar (PSOL/RJ) e outros 71 votaram contra.

O texto vai ao Senado. Federações de trabalhadores e outras entidades pressionaram contra a proposta, em defesa de direitos historicamente conquistados, mas não adiantou. O lobbying das empresas de transporte, grandes financiadoras de campanhas eleitorais, foi grande.

A permissão da jornada excessiva para motoristas não significa apenas a perda de direitos, mas também o crescimento do risco de acidentes.

E prova, como se isso ainda fosse necessário, que estamos nos tornando cada dia mais um país impossível

P.S.: Peguei a notícia no Facebook do deputado Chico Alencar. Não consegui ainda a lista dos 71 que votaram com ele – e a não divulgação de todos os nomes foi um erro da assessoria do simpático parlamentar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *