A importância da estratégia digital para sua carreira e negócios. Por Rebecca Lyrio.

Share Button

Não podemos falar sobre estratégia digital e carreiras sem entendermos onde estamos dentro do contexto da sociedade atual.

A pandemia vem sendo responsável pela transformação de diversos aspectos da sociedade e uma das principais mudanças foi em relação à forma como empresas, marcas e consumidores se relacionam.

Já sabemos que, com encontros presenciais impossibilitados pelas medidas de isolamento social, profissionais migraram do escritório para o home office, eventos familiares e sociais foram adaptados, atividades físicas e educacionais tiveram que se remodelar. O cenário pandêmico, que ainda está longe de acabar, vem trazendo mudanças profundas em nossa sociedade. Soluções que pareciam temporárias, como o uso maior de aplicativos para compras e soluções cotidianas, sistemas de ensino à distância, dentre outros, vêm apontando para um modelo duradouro e que provocará mudanças ainda mais profundas no estilo de vida do ser humano.

Uma pesquisa feita pela Associação de Marketing Promocional (Ampro) mostrou que o trabalho remoto deve continuar no futuro, mesclado com encontros presenciais assim que o cenário permitir. Segundo estudo da Kantar dez/2020, desde o início da pandemia, crescemos o equivalente a 10 anos em 10 meses e, neste contexto, falarmos sobre o mundo BANI (ou pós-VUCA – sigla de Brittle, Anxious, Nonlinear, Incomprehensible) nunca fez tanto sentido. Abordarmos expressões como cibridismo, antes pouco falada que se tornou mais comum, assumindo protagonismo nos debates do cenário da comunicação, uma vez que o separarmos o mundo on e offline não faz mais sentido algum.

Segundo pesquisa do Google realizada em jan/2021 sobre hábitos de consumo, 51% dos consumidores que foram entrevistados continuarão consumindo online no pós-pandemia, o que aponta para a confirmação de um novo padrão de compra.

E, neste contexto de aceleração digital, é premissa básica para as marcas olharem para seu consumidor não como uma presa que precisa ser alcançada, mas sim como um ponto de conexão, onde o discurso que será transmitido pela sua marca terá papel protagonista na construção de um relacionamento duradouro, com conexões reais e que favoreçam e destaquem a empresa em um cenário cada vez mais competitivo e exigente.

Neste ponto, faço um convite à reflexão: como sua marca está se posicionando diante de tantas mudanças? As suas estratégias e ações de comunicação estão alinhadas com este momento?

As experiências virtuais e imersivas vêm ganhando destaque, marcas se posicionam contemplando lives de compra, às Shop Streaming, em suas estratégia de venda, acompanhantes virtuais e smart speakers já fazem parte da vida do consumidor, que vem buscando, cada vez mais, desenvolver novas habilidades e explorar aptidões, uma vez que passaram a ter consciência que podem ser multitarefas. Quando olhamos para o funil de conversão de vendas, percebemos as plataformas digitais e as redes sociais entre os canais que mais influenciam a realização de uma compra entre as pessoas, mostrando que o processo de conquista e fidelização de um cliente se faz nos seus micro momentos – pequenos momentos da jornada de compra – e, geralmente, estão relacionados aos dispositivos móveis, o que faz bastante sentido para uma sociedade hiperconectada e mobile first.

O grande desafio para as empresas atualmente é entender onde, quando e como estabelecer essa conexão com este consumidor cada vez mais exigente, que vive na era do que Henry Timms e Jeremy Heiman chamam de “O novo poder”.

Estamos em um momento de mudança acelerada quando pensamos nos hábitos de consumo e criar estratégias de comunicação capazes de abraçar o consumidor no momento certo, entendendo e ouvindo suas dores é o que poderá diferenciar o sucesso ou não do seu negócio.

É impossível entendermos o consumidor se não investirmos em planejamento, essa atividade tão importante que é a base de qualquer trabalho. É através dele que mergulhamos em todo contexto da nossa marca, entendendo a sua realidade interna e o mundo que a cerca, possibilitando entender o contexto do negócio, identificando as ameaças e oportunidades, analisando a concorrência e contribuindo para decisões e ações fundamentais com foco na saúde e futuro da marca.

O planejamento estratégico efetivo articula não apenas a direção para onde um negócio está indo e as ações necessárias para progredir, mas também como ela saberá se ela é bem-sucedida.

É importante construir um trabalho estruturado, começando pelo diagnóstico, onde é possível ter um trabalho investigativo do contexto e cenário da sua marca e construir suas percepções, depois analisar a sua identidade organizacional e pensar no porquê da sua marca existir. Para Simon Sinek, entender o “porquê” do seu negócio é o que será capaz de diferenciar sua empresa dentre todos os seus concorrentes e poderá contribuir efetivamente para o sucesso no seu segmento.

Com isto, é mais fácil construir metas, objetivos e traçar todo o caminho estratégico para entender que ações e medidas devem ser construídas para que sua marca seja percebida pelo seu público alvo, utilizando os canais de comunicação on e offline de maneira sinérgica, com uma linguagem acessível e que seja atraente para o mercado escolhido.

Toda essa aceleração trouxe também impactos em nosso mercado de trabalho e obrigou empresas a voltarem seu olhar para os profissionais que se dedicam a estudar e entender a cultura digital, o que tem feito com que o mercado fique aquecido nesta área. Para 2021, a tendência de investimentos na área digital segue sendo apontada com grande destaque, o que reforça a necessidade de profissionais e líderes se dedicarem e investirem em capacitação e contratações que envolvam estas habilidades estratégicas.

Não acredito em fórmulas prontas, que irão fornecer a chave para o sucesso. Acredito em pesquisa, em empenho para entender o seu público e o que ele espera de você. Um trabalho consistente, feito com dedicação, levando em consideração todos os aprendizados descobertos através das análises de comportamento e de resultados tem muito mais chance de dar certo do que um trabalho feito pelo prisma de uma visão míope de mercado, que ignora os dados e a tecnologia e segue preso a conceitos antigos para se comunicar com um público que vem buscando uma comunicação cada vez mais simples e direta, com verdade, com algo que agregue de fato algum valor a sua existência.

Existem muitos estudos disponíveis que apontam para este ser humano cada vez mais conectado com sua essência, indo em busca da conciliação entre o prazer da sua vida fora do trabalho e as atividades que exerce no dia a dia. O equilíbrio entre as soft e hard skills nunca foi tão valorizado por empresas e profissionais e as marcas que entenderem como construir e trilhar este caminho no mercado, construindo uma comunicação integrada e pensando nos pontos de conexão estratégicos do seu consumidor, com certeza, terão mais chance de construírem uma reputação verdadeira e de sucesso.

Rebecca Lyrio é estrategista digital, Master of Business Administration em BIG DATA aplicado ao Marketing (ESPM), relações-públicas, especialista em Marketing e Branding (UNIFACS). Líder de Branding no Grupo SANAR. Sócia da consultoria Hackel, especializada em soluções de educação, inteligência de negócios e tecnologia. Atua há mais de 10 anos no mercado publicitário de forma estratégica, tendo como clientes Grupo Laureate, Ilumino, Governos de SP, CE e PE, Prefeitura do RJ, Grupo JCPM, Ford, Odebrecht, OAS, M. Dias Branco, entre outros. Consultora, articulista, palestrante e professora especialista em Comunicação e Marketing de pós-graduação nas seguintes IES: Estácio, UNICEUB, UNIJORGE e UNIFACS.