Os guardiões da marca.

Share Button

Em texto publicado no portal www.administradores.com.br, Fernando Coelho tenta fazer a distinção entre marketing e propaganda. E o faz bem, com clareza e simplicidade. Porém, em alguns trechos parece confundir as funções de marketing com as de relações públicas, principalmente quando usa a expressão “guardião da marca da empresa”.

Cada vez mais, a marca da empresa está vinculada a atributos intangíveis, como credibilidade e reputação, muito além da qualidade, adequação e pertinência dos produtos e serviços oferecidos ao mercado. Como professor, entendo a dificuldade do Fernando. Fico pensando além, em como explicar diferenças tão sutis (e necessárias) para um público que não seja profissional de nenhuma dessas áreas. Um dia, vamos ter que enfrentar esse desafio. É da sociedade civil que saem os futuros clientes, empreendedores, gestores etc. que vão se lançar no mundo dos negócios. E a comunicação – em todas as suas vertentes – é decisiva para o sucesso das empreitadas. E se nem dentro da academia conseguimos construir e disseminar consensos sobre o papel desses profissionais, como vamos informar a população em geral?

Precisamos de um pacto pelo esclarecimento ao público das funções de cada profissional na área de comunicação. Como nos ensinou Jorge Gerdau, em sua palestra inaugural no Congresso Brasileiro de Comunicação Corporativa deste ano, um dos males mais nocivos ao desenvolvimento de economia brasileira é o amadorismo, que grassa em muitas áreas. Mas como acusar o empresariado nacional de amadorismo em comunicação se nós não nos entendemos sobre o papel de cada um nem dentro de casa?

http://www.administradores.com.br/artigos/marketing/marketing-nao-e-fazer-propaganda/77555/

2 respostas para “Os guardiões da marca.”

  1. Fernando Coelho disse:

    Olá Prof Marcelo! Tudo bom? Fico feliz em usar meu texto como referência em sua postagem. Quando cito que a função do marketing é ser “guardião da marca da empresa”, reforço o conceito de que a função deste profissional é a de preservar, potencializar a imagem da companhia sempre com foco no cliente e preocupação com os stakeholders.

    É importante sinalizar que marketing não é comunicação. A comunicação está dentro do composto mercadológico e isso inclui as relações publicas.
    É pertinente ressaltar aqui também o conceito do marketing disseminado por Kotler, referência na área: processo social, no qual indivíduos ou grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com os outros.
    Gerar valor para um cliente em um mercado plural, paradoxal e efêmero, é focar em todos os pontos de contatos que a marca possa vir a ter com este. Pelo produto, PDV, comunicação, pessoas (L.F), etc… o marketing precisa estar atento a todos estes aspectos. Daí, a referência á “guardião da marca”.
    Finalizo reforçando que um profissional de marketing deve ter em mente a importância de conhecer todas as ferramentas possíveis para gerir seu negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *