Esquizofrenia da mídia na Copa da FIFA no Brasil é desvelada por Laurindo Leal Filho.

Share Button

Nossa mídia talvez não tenha um “padrão FIFA” de lógica interna. Link – https://www.youtube.com/watch?v=xBrZbdvD2gY

Laurindo Leal Filho sabe do que fala. É diretor e apresentador do programa VerTV, transmitido pela TV Câmara e pela TV Brasil, é mestre e doutor em Ciências Sociais e escreveu quatro livros sobre a sociedade e a televisão.

Sobre ele, no Portal dos Jornalistas:

Desenvolveu sua carreira em emissoras de televisão. Passou pela TV Globo, onde entre 1962 a 71 foi repórter, redator, locutor e comentarista. Em 1972, ainda na Globo, fez matérias especiais. De 1974 a 82 foi editor na TV Cultura. Nesse mesmo período foi professor livre-docente, de Jornalismo, na Escola de Comunicações e Artes (ECA/USP), até 1989 e nas Faculdades Integradas Alcântara Machado/Faculdade de Artes Alcântara Machado (Fiam/Faam) nos anos de 75 e 76.

Por dois anos foi editor-chefe do jornalismo da TV Cultura, entre 1977 e 79. Passou pela TV Bandeirantes em 1982 e 83, como editor na central de jornalismo.

Desde 2005 é ouvidor-geral da Empresa Brasil de Comunicação (EBC) e diretor-apresentador do programa VerTV, transmitido pela TV Câmara e pela TV Brasil.

Publicou os livros “Atrás das Câmeras – Relações entre Estado, Cultura e Televisão” (Summus, 1988), “A melhor TV do mundo – o modelo britânico de televisão” (Summus, 1997), “A TV sob controle – A resposta da sociedade ao poder da televisão” (Summus, 2006), e “Vozes de Londres – Memórias brasileiras da BBC” (Edusp, 2008).

Além de artigos sobre cultura e comunicação, com ênfase na televisão, em publicações científicas e de divulgação, foi secretário de Esportes, Lazer e Recreação da Prefeitura de São Paulo, na gestão de Luiza Erundina.

Vencedor do Prêmio Wladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos 2002. No mesmo ano foi Menção Honrosa da Revista Imprensa. Foi Patrono da turma de jornalismo de 2004 da Universidade Metodista de Piracicaba. Em 2006 foi finalista do Prêmio Engenho de Criatividade e Comunicação, de Brasília.

Atualizado em maio/2012.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *