Você acha caro pagar por um bom profissional? Experimente contratar um incompetente! Por Isabella Pinheiro.

Share Button

Certamente, essa frase se aplica a várias profissões, mas sem dúvida alguma, ela é ideal para o meu ramo de atuação: o marketing.

É muito comum algumas empresas quererem ‘tabelar’ seu preço ou salário de acordo com o que elas acham que o profissional vale e não considerar a importância daquele profissional como um todo. Mas não podemos confundir ‘salário justo’ com desvalorização.

Se você é um bom profissional, formado, capacitado, que estudou e continua estudando muito para oferecer o melhor, que sabe o que está fazendo e qual o produto ou serviço ideal para entregar, logo, apenas você saberá o valor do seu trabalho.

Cabe a você negociar. Valorize-se e, sobretudo, valorize seu trabalho, tempo de estudo e dedicação. O preço de um bom profissional é extremamente menor, tanto em custo ao longo do tempo, quanto a dor de cabeça – se comparado ao preço-prejuízo de um incompetente daqueles que não sabe o que faz e está apenas interessado no que vai ganhar, ao invés dos resultados obtidos ao longo dos anos que estiver na empresa.

Se você, empresa, quer ter bons resultados e crescimento no seu negócio, não será da noite para o dia, como uma fórmula mágica, e muito menos de forma gratuita ou extremamente barata que irá conseguir. Mas sim com dedicação, tempo, esforço e profissionalismo, para que seu dinheiro não seja desperdiçado e gasto com profissionais que não trazem retorno.

Saiba valorizar quem precisa e saiba ser valorizado pela sua entrega. Ser bem remunerado também integra seus valores como ser humano e dedicação por uma empresa que aposta em você.

Imagem: www.pexels.com/pt-br/

Isabella Pinheiro é analista de Marketing e gerente de Mídias Sociais.

@isaumagarota