Ponto final. Adeus ano velho! Por Maeve Phaira.

Share Button

Iniciamos a nossa nova caminhada. Nossos primeiros passos, como crianças, sem saber muito bem como se equilibrar no espaço vazio da vida, que se abre diante de nós; 2021. Tudo está por vir… e nós, aqui,  prestes a viver o tempo dos nossos sonhos, onde a gente sempre espera realizar tantas coisas, o futuro.

Mas parece que o mundo mudou, ou sempre foi assim, e eu não sabia, sei lá! Nosso tempo é agora! Ele exige o presente. Viva, faça, aconteça! Tempo imperativo; obedeça! Tem que ser agora, neste instante, o amanhã desapareceu. Somos hoje, nada mais. É uma urgência, urgentíssima, uma Tutela Antecipada da vida.

Não quero a vida iminente, urgente, antecipada. Não sou convicta, tenho dúvidas. Então, hoje acordei com os sorvetes que tomei na esquina da minha casa, com as boas risadas que compartilhei com os amigos, com os aromas que ficaram na alma, as noites estreladas, os meus sonhos, e os meus amores, ah… e os ventos. Os ventos que trouxeram a paz necessária para contemplar a vida com ternura, diante das adversidades. Acordei passado para enfrentar o presente, forte! E o que não foi bom? O que não foi bom deletei ontem. Não vou carregar. Simplesmente porque não me pertence.

Acordei brisa. E acordei brisa não porque o mundo é maravilhoso. Não é mesmo, ele nunca foi um lugar fácil p’ra se viver. Mas quando a gente aprende com os próprios erros, vem a maturidade. E é ela que nos auxilia a lidar com as nossas frustrações, e também na escolha do melhor caminho, sempre!

O mundo está complicado. Vamos precisar da nossa bagagem. Que ela seja leve, só o essencial para ser feliz!

Maeve Phaira, autora do livro ‘Outono em Copacabana’.