Pessoas: o centro da estratégia de Endobranding. Por Moni Biavaschi.

Share Button

Lendo o livro ‘Poder sem limites’, de Tony Robbins, deparei-me com informações sobre uma pesquisa conduzida pelos autores de outra obra, intitulada ‘In Search  of Excellence’, na qual foram apurados fatores para empresas tornarem-se grandes marcas.

Uma descoberta-chave foi a intensa atenção dessas companhias para com as pessoas. Nas palavras dos seus autores: ‘dificilmente há um tema mais penetrante em empresas excelentes do que respeito pelo indivíduo’.

A partir dessa afirmação é possível observar a relevância de um conceito que é ainda recente na academia e nos negócios: ‘Endobranding’.

De maneira bem resumida, Endobranding ou ‘Branding interno’, trata de observar as pessoas em sua individualidade como fator primordial para o sucesso e excelência de uma empresa, gerindo, a partir daí, a interação da marca em todos os pontos de contato entre funcionários e o negócio.

Empresas de sucesso são aquelas que mantêm um relacionamento de respeito e dignidade com as pessoas, enxergando verdadeiramente cada uma delas como (surpresa!) pessoas, e não como ferramentas ou friamente ‘peças’ de uma grande engrenagem.

E isso não diz respeito apenas a atividades diárias, diretrizes de relacionamento com o mercado ou seguir os padrões sugeridos pela companhia. É sobre conectar a essência de cada um à marca, fortalecer a cultura e aproximar as pessoas dos objetivos de negócios.

Voltando ao livro que citei no início desse texto, dos 20 executivos da Hewlett-Packard entrevistados, 18 afirmaram que o sucesso da empresa dependia da filosofia dos seus colaboradores em alinhamento com a da HP. Ou seja, pessoas engajadas são fontes de conhecimento, qualidade e promoção de melhorias constantes nos negócios, combinação que também pode ser chamada de produtividade.

É clara a importância da valorização do elemento humano nas organizações, mas sabemos que esse princípio não é aplicado com a intensidade e com o alcance que deveria, visto o status ainda incipiente do Branding na gestão de marcas com foco no público interno, seja na literatura, seja na prática empresarial.

Não há dúvidas, no entanto, que evoluímos bastante em relação a algumas décadas atrás e o tema, mesmo que lentamente, vem chamando a atenção de organizações que buscam melhores resultados para os negócios entendendo as pessoas ‘de dentro de casa’ como um fator essencial e propulsor para a construção e consolidação de suas marcas.

Moni Biavaschi é graduada em Publicidade & Propaganda, Relações Públicas e especialista em Gestão de Marcas – Branding. Na área há mais de 10 anos, atuou na RBS TV e Grupo RBS nas áreas de marketing e planejamento, tem foco em projetos criativos, design gráfico, consultoria de branding e comunicação para empresas e novos empreendedores.

8 respostas para “Pessoas: o centro da estratégia de Endobranding. Por Moni Biavaschi.”

  1. Cristiane Poletto disse:

    Excelente texto, Moni, que só reforça a importância de valorizar o ser humano dentro de cada organização para que ela prospere!

    • Moni Biavaschi disse:

      Prosperar é um ótimo termo, tenho um entendimento sobre prosperidade que vai além do financeiro, abrange relações pessoais, bem-estar, crescimento e evolução, aspectos que devem ser almejamos não só por nós enquanto pessoas em desenvolvimento, mas pelas marcas que desejam solidificar e aprimorar seus negócios.

  2. MARLI DE FATIMA VIEIRA disse:

    Monis, muito bom! Acredito que um dos maiores ativos de uma empresa ainda são as pessoas, então se as empresas valorizaram seus talentos poderão atingir seus objetivos com maior facilidades e vice versa….

    • Moni Biavaschi disse:

      Ótimo ponto Marli, não apenas a empresa vai atingir seus objetivos de negócios, as pessoas com ela envolvidas estarão em um ambiente onde possam também evoluir e atingir seus objetivos pessoais.

  3. Roberta Zardo disse:

    Moni, que texto ótimo! Reforça ainda mais que as pessoas são peças fundamentais para a prosperidade e sucesso de qualquer empresa! 🙂 X

    • Moni Biavaschi disse:

      Tão simples né? É certo que muito já foi feito, mas ainda temos um longo caminho para ser construído em conjunto por marcas e seus colaboradores.

  4. Regis Kogler disse:

    Incrível, feliz por ler este artigo no início da semana e visualizar o quanto importante de fato é o tema, obrigado

  5. Laura Vianna disse:

    Oiii Monica, que texto maravilhoso. Parabéns por sintetizar um assunto tão importante e compartilhar teus conhecimentos. Admiro muito o teu trabalho. Beijo.

Deixe uma resposta para Moni Biavaschi Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *