O caminho das rosas. Por Maeve Phaira.

Share Button

Dizem que a rosa é um presente de Deus. E que, especialmente, a rosa do deserto seria um sinal divino para todos aqueles que se encontram perdidos. É sempre nos piores momentos da vida que os detalhes dão força p’ra gente continuar seguindo o nosso caminho.

Uma rosa pode mudar o nosso dia, a nossa semana, depois, os nossos meses, e os anos também, enfim, uma rosa pode mudar as nossas vidas, o nosso destino. Apenas uma rosa. E os espinhos? São para lembrar que mesmo diante da beleza precisamos ter cuidado. É um alerta de Deus, mais um presente dele.

Mas a rosa pode ser também aquele cantinho das nossas casas, onde a gente se sente bem sozinha, lendo, cozinhando, ou até mesmo regando aquela plantinha verde, a que não tem a beleza da rosa, mas a gente ama, e cuida com tanto carinho, rosa. Outro dia esqueci de regar a minha, foi só um dia, e ela murchou, coitadinha! Coloquei água, e ela ficou bem verdinha. Rosas podem ser também os nossos filhos, rosas, os nossos netos, rosas, os nossos amores, rosas, os nossos amigos, rosas, os nossos livros, rosas, o nosso trabalho, rosa.

Onde houver amor teremos rosas.

Ah… e não esqueça jamais! A rosa também nasce no deserto.

Bom mesmo é seguir o caminhos das rosas, não o das pedras.

Fotografia: Google

Maeve Phaira, autora do livro Outono em Copacabana.