NOVA ARTICULISTA: Luiza Vaz - É hora de ficar calado?

Share Button

O título deste texto pode ser o questionamento de muitos profissionais da comunicação e do marketing. Afinal, todos estamos com medo e passando por uma crise mundial inimaginável. Quem estaria preparado para algo desse tipo? Bem, ninguém. Nem mesmo aquelas empresas que sobreviveram a outras crises econômicas, como a de 2008.

A epidemia foi crescendo em uma amplitude que virou uma pandemia e fez a maioria ter que fechar as portas por tempo indeterminado ou trabalhar em sistema home office. E temendo pelo pior, empresas grandes e pequenas passaram a ficar em silêncio. Preferem fingir de mortas por um tempo. Mas será que é momento para se esconder e ser esquecido?

Para algumas empresas e profissionais da comunicação e do marketing o medo de perder mais é maior do que o de se pronunciar, posicionar, aparecer. Mas, talvez seja a hora de ter coragem e dar ‘a cara a tapa’. Ficar calado pode gerar o esquecimento. E este pode durar muito mais do que a quarentena. As empresas que se pronunciarem e aparecerem nesse período de crise serão as mais lembradas quando tudo isso acabar. E elas sairão em vantagem lá na frente.

É parecido com a vida pessoal. Quando passamos por momentos difíceis e um amigo ou familiar dá um suporte, seja financeiro ou psicológico (um ombro amigo), nós guardamos esse gesto conosco por muito tempo, senão para a vida inteira. E quando estamos em um período de felicidade e realizações, nós costumamos lembrar dessa pessoa e a chamamos para celebrar e compartilhar esse momento bom conosco.

Essa cumplicidade e lembrança entre amigos ou familiares é semelhante à relação entre uma empresa e seu cliente. Assim como em um casamento, quando o padre ou o celebrante diz: ‘na alegria e na tristeza, na saúde e na doença até que a morte os separe’. É uma relação, uma parceria.

Então, não é a hora das empresas ficarem caladas e nem no esquecimento. É momento de estar junto, presente. E essa presença pode ser: divulgando ações que estão fazendo para ajudar a sociedade a passar por isso, como as doações de álcool em gel, comida, máscaras – que algumas empresas estão fazendo para instituições de saúde; mudando a logomarca para mostrar que estão apoiando o combate ao novo vírus; ou simplesmente enviando um e-mail para os clientes dizendo que não estão sós.

E é por isso que a comunicação e o marketing das empresas são tão importantes nesse momento de crise mundial. É hora de unir forças.

Luiza Vaz é jornalista graduada pelo Centro Universitário Uniceub, de Brasília. E pós-graduada em jornalismo esportivo pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), de São Paulo. Nos últimos anos tem trabalhado com assessoria de imprensa e marketing de distribuidoras e exibidores de cinema multinacionais.