A era da dúvida: para onde eu vou? Por Mariele Zanin.

Share Button

Olá! Sou a Mariele, tenho 22 anos. Trabalho com Marketing e sou formada em Jornalismo. Caso você pergunte se ambas atividades estão relacionadas, posso dizer que elas se aproximam indiretamente, mas que não. Eu estudei com um propósito e hoje trabalho para outro.

O que eu quero dizer é que nos dias atuais emprego tem. Mas não necessariamente o emprego dos sonhos. Sou nova, estou conhecendo o mercado de trabalho e quem sabe um dia, possa estar aonde eu quero. No momento, aproveito para aprender atividades e conteúdos novos, que durante a faculdade não tive.

Parece que tudo vem para somar, na mesma medida que precisamos do nosso ‘ganha-pão’. Se eu sou feliz todos os dias, a resposta é não. Trabalho nove horas por dia, ando em média uma hora de ônibus e tenho uma hora de almoço. Pode não parecer, mas a corrida é grande. O cansaço sempre bate à porta, mas utilizo meu final de semana para esvaziar a mente e descansar. Durante a semana, o trabalho é a minha segunda casa.

Além disso, esse ano decidi fazer uma pós-graduação em Marketing. Senti necessidade de aprofundar meus conhecimentos. O que eu vi durante um ano na prática, agora estou vendo na teoria, onde tudo começou a fazer sentido. Digo isso porque me aventurei a trabalhar em algo de que eu não sabia (quase) nada. Tudo foi na prática e com a ajuda de (pouquíssimas) pessoas.

Às vezes me pergunto se estou no lugar certo, fazendo a coisa certa. Talvez este seja o mal do século. A mídia nos impõe a cada momento padrões de vida a serem seguidos, padrões de empregos do ano, padrões de como ser feliz. Como se isso fosse possível.

Eu acredito que cada pessoa tenha um propósito na vida e que o bom resultado vem de um bom trabalho. Muitas vezes árduo, mas com dedicação.

Claro que devemos saber a hora de respirar, de se alimentar, de cuidar de si mesmo, o que também contribui para os bons resultados, profissionais e pessoais. Sempre ouvi da minha família que ‘o que vem fácil, vai fácil’. Por isso, a mensagem que eu gostaria de repassar é que construir uma carreira não é fácil, exige comprometimento e nem sempre vai agradar a todo mundo. Por mais dúvidas que a gente tenha na vida, oportunidades não param duas vezes na mesma porta. O que importa é estar de bem consigo mesmo e com o trabalho que exerce. Se a vida apresenta outras opções, por que não?

Mariele Zanin é formada em Jornalismo pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (PR). Atua há um ano como assistente de Comunicação e Marketing alinhada às práticas de comunicação interna, redes sociais, fotografia e marketing estratégico. Cursa MBA em Gestão de Marketing na Faculdade Positivo. Suas áreas de maior interesse são: mídias sociais e telejornalismo.

Uma resposta para “A era da dúvida: para onde eu vou? Por Mariele Zanin.”

  1. Deborah do Carmo Sousa disse:

    Exatamente isso Mariele, parabéns pela versatilidade, o mercado não setoriza mais conhecimento, temos que fazer de tudo um pouco e não rejeitar desafios. Sucesso na sua carreira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *