A importância da comunicação interna para as organizações. Por Anderson Benites Lovato.

Share Button

Comunicação interna faz parte da comunicação organizacional, e é dirigida a um público essencial para a organização, os colaboradores. O público interno – se bem informado – irá colaborar na disseminação do que se quer comunicar, por isso deve ser o primeiro a saber das novas, respeitando o fluxo de comunicação organizacional de dentro para fora da empresa.

Melhorar os processos de comunicação interna implica em ter melhores canais de comunicação, qualidade nas mensagens comunicadas e eficácia na comunicação entre todos os departamentos da empresa. Sendo estabelecida de forma correta, além de resultados positivos nas áreas, consegue tornar o ambiente de trabalho mais harmonioso e agradável para todos que constituem a organização.

Ao criar um planejamento, padronizando seus veículos de comunicação interna, consegue-se passar informações importantes, de forma
organizada, clara e objetiva para seu público interno, evitando o surgimento de suposições e comentários errôneos, deixando os funcionários seguros e motivados, estabelecendo uma imagem harmônica e clara que transmite confiabilidade e credibilidade.

Neste processo são necessários vários recursos que a organização pode utilizar para que sua comunicação interna comece a funcionar trazendo resultados positivos com o passar do tempo. Os colaboradores de uma organização querem ter conhecimento dos negócios da
empresa, das decisões que ela toma, da situação que ela se encontra. A falta de informação, de uma boa comunicação entre dirigentes e funcionários acaba gerando desmotivação e falta de comprometimento. Torna-se fundamental, pois, comunicar a missão da empresa, seus valores, metas e objetivos ao público interno, pois quanto maior for seu envolvimento com a organização, maior será o seu comprometimento.

Nenhuma estratégia de comunicação e até mesmo de marketing se sustenta sem que o público interno esteja informado, engajado e alinhado com a estratégia da organização. Na revolução dinâmica que se vem experimentando dia a dia, a comunicação interna deve pautar-se por alguns fundamentos:

– Orientar-se especificamente ao público interno

– Atentar-se à ambiência em que se dá a fala

– Promover o devido conhecimento sobre a cultura organizacional e envolvimento das lideranças com o planejamento e a classificação da informação como de ‘uso interno’, disseminação das mensagens, ser ágil, verdadeira e parte de um sistema de comunicação integrada.

Dessa forma, a comunicação interna ajudará as organizações a alcançarem seus objetivos e, ao mesmo tempo, oferecerá ao público interno a possibilidade de também aliar tal alcance a seus próprios objetivos individuais.

Anderson Benites Lovato é relações-públicas, especialista em Gestão de Marketing e Mestre em Comunicação e Indústria Criativa. É integrante do Grupo de Pesquisa Processos e Práticas nas Atividades Criativas e Culturais – GPAC (CNPq/Unipampa) e assessor de Comunicação e Marketing na Sicredi Região Centro RS/MG. E-mail: andersonlovato91@gmail.com