Início / Quem somos

Quem somos

Share Button

Fundadores

Manoel Marcondes Machado Neto (diretor-presidente)

Bacharel em Relações Públicas pelo IPCS/UERJ. Pós-doutor em Cultura e Territorialidades pela UFF. Doutor em Ciências da Comunicação pela USP, sob a orientação de Margarida Kunsch, na linha de pesquisa ‘Comunicação Institucional: políticas e processos’. Professor e pesquisador da Faculdade de Administração e Finanças da UERJ. Editor dos sites ‘RRPP.com.br’, ‘FullPR.net’ e ‘Powerbranding Brand Forum’; e dos blogs ‘Institucionalmente’, ‘RRPPblog’ e ‘marcondes@blog’. Foi secretário-geral do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas do estado do Rio de Janeiro (Conrerp1) de 2010 a 2013. Consultor de empresas desde 1980, atuou como auditor na Arthur Andersen e auditor de sistemas na Andersen Consulting; tendo participado do ‘rebranding’ para Accenture – ‘case’ que publicou no livro ‘Marca: do marketing ao balanço financeiro’ (EdUERJ, 2015) em coautoria com Mariza Branco Rodrigo de Freitas. Coordenador e supervisor de estágio profissional em Relações Públicas do ECI (Escritório de Comunicação Institucional) do OCI.

Marcelo Luiz Ficher (diretor executivo)

Bacharel em Relações Públicas pela FCS/UERJ. Mestre em Educação pela UFF. Consultor de organizações – com ênfase no Terceiro Setor. Ex-professor do curso de Pós-graduação em Administração de Marketing e Comunicação Empresarial da Universidade Veiga de Almeida. Foi presidente da Comissão de Fiscalização do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas do estado do Rio de Janeiro (Conrerp1) de 2010 a 2013.

Lúcia Duarte

Bacharel em Relações Públicas pelo IPCS/UERJ. Mestre em Comunicação pela UFRJ. Consultora com larga e diversificada experiência, tem atuado em cargos e funções de responsabilidade que requerem competência, criatividade e agilidade nas decisões. Tem diversos trabalhos publicados.

Pollyana Escalante

Bacharel em Relações Públicas pela Universidade Federal do Maranhão e especialista em Gestão Estratégica de Marketing Digital (IGEC/ FACHA). Mestre em Comunicação pela UERJ. Tem experiência em assessoria de comunicação, mídias sociais e produção de eventos. Membro do movimento ‘Relacione-se!’. Foi presidente do Conselho Fiscal do OCI até 24 de abril de 2018, quando, em Assembleia Geral Ordinária, foi aceita sua renúncia e retirada do quadro associativo do OCI, em virtude de sua aprovação em concurso público e consequente exigência de desfazimento de qualquer participação em sociedade. Na mesma A.G.O., foi eleita para substituí-la na função a associada benemérita Leilane Goytacazes.

Diretoria

Ronaldo J. Rotter (Conselheiro de Desenvolvimento Internacional – I.C.O. International Development Advisor)

Graduado em Administração Pública pela EBAPE/FGV e Ciências Contábeis pela Faculdade de Ciências Administrativas e Contábeis Paulo Eiró. Possui experiência internacional na área de Análise de Risco, Auditoria (Price Waterhouse), Gestão Financeira de Projetos e Auditoria Interna (Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID), em Washington D.C. É ‘CFO’ voluntário (Rosemount Center), em Washington, D.C.

Marcia Cáceres (diretora adjunta)

Graduada em Relações Públicas pela FACHA. Atuou na área comercial de produtos, serviços e publicidade. Cursou aperfeiçoamento em Formação Holística de Base com abordagem transdisciplinar na UNIPAZ – Rio de Janeiro. Atuou profissionalmente como produtora cultural.

Cris Alecrim (diretora de marketing)

Profissional com 25 anos de experiência na criação, planejamento e gestão de Comunicação Corporativa nas áreas editorial, de serviços e cultural. Foi uma das responsáveis pelo ‘rebranding’ da marca Andersen Consulting para Accenture e pelo desenvolvimento e implementação de dezenas de projetos de posicionamento e imagem, além de outros de comunicação integrada para manutenção e fidelização de relacionamento junto a diversos grupos de stakeholders. No início de sua carreira, desenvolveu projetos de RP e assessoria de imprensa para importantes editoras brasileiras. Graduada em Marketing Estratégico e Gestão da Informação e pós-graduada pela FGV em Gestão de Marketing.

Colaboração especial

Andréa Paula Osório Duque

Graduada em Administração, mestre e doutora em Ciência da Informação (IBICT). Professora das disciplinas ‘Elaboração da dissertação’ e ‘Construção de artigo científico’ no Programa de pós-graduação em Contabilidade e Gestão da Faculdade de Administração e Finanças da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Professora colaboradora da UERJ. Curadora da seção ‘Melhores Monografias e Projetos Experimentais’ do OCI.

Carlos Müller

Graduando e presidente do Diretório Acadêmico de Relações Públicas na Universidade de Caxias do Sul. Secretário de comunicação no Diretório Central dos Estudantes da Universidade de Caxias do Sul. Fundador e diretor mercadológico do projeto Mazáaa! comunicação na prática. Analista de marketing na empresa NTC Moldes e Plásticos. Profissional com experiência comprovada nas áreas de marketing, marketing digital, planejamento e produção de conteúdo, atendimento, vendas e relacionamento com o cliente, tanto em comércio quanto em indústrias da Serra Gaúcha. É coordenador executivo do OCI no estado do Rio Grande do Sul.

Elaine Lina de Oliveira

Graduada em Relações Públicas pelas Faculdades Integradas Rio Branco (2004) e especialista em Gestão Estratégica da Comunicação Organizacional e Relações Públicas pela Universidade de São Paulo (2006). Ex-docente dos cursos de Relações Públicas da UNIFAAT e da PUCCAMP). Foi presidente do Conselho Regional de Profissionais de Relações Públicas da 2a. Região (SP/PR), Conrerp2 (2010-2013). Tem experiência profissional e empreendedora nas áreas de Relações Públicas e Comunicação Organizacional. Pesquisadora sobre as interfaces das Relações Públicas e do Direito na formação do Estado Democrático. É coordenadora executiva do OCI no interior do estado de São Paulo.

Juliana Vilas F. dos Santos

Jornalista pela Fundação Cásper Líbero, é especialista em Netnografia (Associação Brasileira de Pesquisadores de Mercado, Opinião e Mídia – ASBPM) e cursa MBA em Gestão Pública: Políticas e Gestão Governamental (Escola Paulista de Direito – EPD). Por cerca de 15 anos, atuou como repórter, editora e diretora de redação em revistas, jornais e sites segmentados e de circulação nacional, como Folha de S.Paulo, Época, IstoÉ e Consumidor Moderno. Desde 2014, elabora e executa projetos de conteúdo e comunicação para entidades privadas e do terceiro setor. É coordenadora executiva do OCI em São Paulo, capital.

Renata Auxiliadora Ferreira

Graduada em Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCAMP), tem vivência em comunicação em duas grandes organizações (nos campos Farmacêutico e de e T. I.), na produção de conteúdo, editoração e redação de newsletters e veículos de comunicação interna tendo o colaborador como protagonista. Fez eventos e curadoria de vídeos. Atuou como ‘embaixadora da marca’ com participação colaborativa em campanhas e blog interno de Branding e de Learning, com artigos relacionados ao conhecimento e tendo atuado ainda como facilitadora em treinamentos organizacionais com foco no desenvolvimento de pessoal. É coordenadora executiva do OCI em Campinas.

 

2 respostas para “Quem somos”

  1. Sou graduado em comunicação institucional, porém sinto-me desemparado por não ter filiação a conselho profissional.

    • Marcondes Neto disse:

      Caro Antonio Carlos de Lima, a questão de denominação dos cursos oferecidos pelas Instituições de Ensino Superior no Brasil é séria e a situação – em alguns casos – é grave. E por que? Porque apesar de o Ministério da Educação ter a prerrogativa de homologar ou não todo e qualquer curso de graduação, muitas vezes cursos são postos em funcionamento para só posteriormente (às vezes anos depois) serem visitados ou passíveis de qualquer exame oficial. E mais: mesmo para as – poucas – profissões regulamentadas (são pouco mais de 60 em mais de 2.500 ocupações reconhecidas pelo Ministério do Trabalho e Emprego), não há a submissão do MEC às autarquias federais de fiscalização profissional. Não por outra razão, 9 em 10 bacharéis em Direito não conseguem aprovação no exame da OAB. Na nossa visão, os prejudicados por esse tipo de ‘comunicação enganosa’ – aquela que pode induzir o cidadão a erro de julgamento (adquirindo uma coisa e recebendo outra) – é que devem pressionar tais IES (infelizmente, majoritariamente pela via judicial) a regularizarem seus cursos, modificando portarias internas e, até, o apostilamento de diplomas, retroativamente. Este tipo de procedimento é o único caminho que vislumbramos e que – em tese – poderia conceder a você o título acadêmico necessário para a obtenção do registro profissional. Saudações, Manoel Marcondes Machado Neto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *