PROPAGANDA COM ÉTICA - O intermediário virtual e o conflito de canais.

Share Button

Apesar de não ter sido desenvolvida com este fim, a internet tornou-se um fabuloso universo para a comercialização de produtos e serviços. E isto já não é mais novidade para ninguém.

No entanto, por ser ainda uma ferramenta extremamente nova, muitos empresários – e incluo também nesse contexto os seus desenvolvedores de sistemas – ainda desconhecem, ou muito pouco sabem a respeito dos efeitos, alguns positivos e outros desastrosos, que a internet pode causar nos processos de comercialização, no ‘branding’ e na imagem das empresas como um todo. Refiro-me, entre os aspectos negativos, a um fator muito conhecido no marketing denominado ‘conflito de canais’.

É sabido que, quanto maior a quantidade de canais, maior a cobertura de mercado exercida por uma determinada empresa e, consequentemente, mais altos os índices de crescimento de vendas atingidos por ela. ‘Vamos, então, colocar os nossos produtos e serviços na maior quantidade de canais possível a fim de nos tornarmos um estrondoso sucesso de vendas no mercado’.

– Certo?

Seria muito fácil se fosse assim. É necessário estabelecer, antes de mais nada, uma estratégia de apresentação do produto ou serviço ao mercado, determinando, nesse planejamento, quantos e quais serão os canais a serem utilizados. Muitas ofertas e oportunidades irão surgir. E, se, no passado, a multiplicidade de canais já era bastante variada, o que dizer, então, da imensa gama disponibilizada agora com a internet, aplicativos e suas possibilidades de combinação com os canais convencionais de distribuição?

Mas a pergunta necessária ainda deve ser:

– Está no nosso planejamento?

Podem ocorrer conflitos quando um canal ‘on line’ é criado junto a um canal tradicional. Tais conflitos podem ser de objetivo (ter que gerar vendas para cobrir os custos fixos nos canais tradicionais e no novo canal), de conflito de domínio (referentes a território, distribuição e outras responsabilidades), e conflitos de percepção de realidade (se as vendas ‘on line’ estão de fato aumentando o potencial de mercado da empresa).

Em muitos casos, os conflitos não diferem em natureza daqueles encontrados em qualquer estrutura de distribuição de vários canais. E sugerem medidas tais como: oferecer benefícios diferentes entre os canais; ter um posicionamento diferente entre linhas de produtos; e atrelar o varejo ‘on line’ ao tradicional, de modo a coordenar os canais dentro de uma estratégia geral do negócio.

Sendo assim, esteja sempre atento às novas possibilidades que o mercado apresenta, bem como às novas ferramentas de marketing que as novas tecnologias disponibilizam a cada instante. Porém, não perca de vista as diretrizes estabelecidas pelo seu plano de negócios e planejamento estratégico de marketing. Afinal, se tentarmos abrir demasiado os nossos olhos, ampliando além do máximo o nosso campo de visão, o mais provável é que percamos o foco. E, neste caso, o tombo será certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *